TI INSIDE Online -

RSS Feed Compartilhe TI INSIDE Online no Facebook Compartilhe TI INSIDE Online no Twitter Compartilhe TI INSIDE Online no Google+ Compartilhe TI INSIDE Online no Linkedin

Qualcomm rebate acusação de grupo de fornecedores

Postado em: 04/11/2005, às 18:50 por Redação

A Qualcomm disse que vai travar uma acirrada batalha com a Broadcom, Ericsson, NEC, Nokia, Panasonic Mobile Communications e Texas Instruments, que alegam que a empresa está impedindo que outros fabricantes de microprocessadores para telefonia móvel possam competir de forma justa no mercado por se recusar a conceder licenças de patentes essenciais para potenciais competidores de microprocessadores.

A empresa adiantou que irá se ?defender de forma vigorosa? e que ?manterá a sua política de licenciamento em termos justos e razoáveis, como fez no passado?.

Durante apresentação dos resultados do quarto trimestre fiscal, o presidente da Qualcomm, Steven Altman, classificou as alegações como sem merecedoras de crédito. Ele disse que a companhia quer se reunir com os membros da Comissão Européia para refutar os pontos alegados pelos fabricantes.

Altman acrescentou que o ataque coordenado foi uma tentativa de reescrever a história. ?Se os termos não são justos, as empresas não deveriam ter assinado os contratos.? Ele disse que a Qualcomm mantém acordos de licenciamento com mais de 130 companhias que estimulam a competição na indústria. ?Nunca interrompemos uma licença para uma companhia e somente limitamos as solicitamos nos casos em que foi oferecido um pequeno desconto para algumas companhias européias?, pondera Altman, ao dizer que está esperando receber uma cópia com as alegações rapidamente para prestar as informações.

Dentro de três ou seis meses, após o fornecimento das informações, a comissão irá decidir se inicia um investigação formal ou se encerra o assunto.

Para o primeiro trimestre, a Qualcomm disse que espera um lucro pro-forma de US$ 0,36 a US$ 0,38 por ação e um receita de US$ 1,77 bilhão. As projeções dos analistas de Wall Street é que cada ação fique na casa dos US$ 0,35 e as vendas em US$ 1,66 bilhão No quarto trimestre, as vendas da empresa aumentaram 40% em relação ao ano anterior, para US$ 1,56 bilhão, e o lucro líquido cresceu 37%, totalizando US$ 538 milhões, ou US$ 0,32 por ação.

Tags:

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Nome (obrigatório)

E-mail (não será mostrado) (obrigatório)

Website

Mensagem (obrigatório)



Top