TI INSIDE Online -

RSS Feed Compartilhe TI INSIDE Online no Facebook Compartilhe TI INSIDE Online no Twitter Compartilhe TI INSIDE Online no Google+ Compartilhe TI INSIDE Online no Linkedin

Apple pode lançar serviço de notícias por assinatura até final do ano

Postado em: 14/02/2019, às 20:35 por Redação

A Apple planeja lançar um serviço de notícias por assinatura, que, segundo o The Wall Street Journal, será um "Netflix para notícias". A Apple terá 50% da receita da assinatura e a outra metade seria distribuída entre os parceiros editores, com base no engajamento, o que poderia ser mensurado pelo tempo gasto pelos leitores dos artigos.

O serviço permitirá que os assinantes leiam um número ilimitado de artigos por uma taxa mensal, e deve ser lançado no final deste ano através do aplicativo Apple News, que vem pré-carregado em iPhones. A gigante de tecnologia provavelmente revelará mais detalhes sobre o serviço em um evento marcado para o dia 25 de março, segundo o BuzzFeed News.

A inscrição no serviço pode canibalizar o negócio de assinaturas dos próprios editores, que provavelmente resistirão a assinar o contrato, pois isso provavelmente significaria que eles não teriam acesso aos dados do assinante da Apple e muito menos 100% do ARPU.

Entre os grandes editores com fortes receitas de assinaturas, o The New York Times e o Washington Post não concordaram com os termos da Apple, enquanto The Wall Street Journal também tem preocupações, mas suas recentes conversas com a Apple têm sido produtivas.

O potencial de receita pode ser marginal. Quanto mais editores entrarem no serviço, menor será o desempenho de cada editor: como o potencial de receita será baseado no engajamento, à medida que a concorrência por "views" aumenta, a receita provavelmente declina para cada um deles. E, embora a Apple deva permitir que os editores mantenham 100% das vendas de anúncios, estes terão que ser vendidos no formato personalizado Apple News, em vez de outros formatos padrão, o que pode limitar a capacidade de vendas de algumas equipes de vendas de anúncios.

Apesar das preocupações, o serviço da Apple pode ser uma oferta que os editores não podem recusar. A plataforma de agregação não é uma receita garantida – os editores não devem otimizar seus modelos de negócios para ela, como muitos fizeram com o Facebook no passado -, mas o ecossistema da Apple poderia oferecer benefícios muito grandes para serem ignorados. Especialmente para editores que atualmente não dependem de assinaturas, que podem auferir receita de outras fontes.

Apesar de todas as suas desvantagens, as plataformas tecnológicas deram acesso às novas organizações a uma enorme base global de consumidores de notícias. A Apple tem uma enorme base endereçável, graças ao domínio de seus dispositivos: ela detém 60% do mercado de smartphones dos EUA e há 1,3 bilhão de dispositivos ativos da Apple em todo o mundo, muitos dos quais são provavelmente iPhones.

O ecossistema de serviços da Apple pode ser tão atraente que os editores não terão condições de recusar, pois o pacote da Apple provavelmente incluirá uma série de serviços que incluiriam notícias, vídeos, músicas e jogos. Uma oferta tão atraente que provavelmente gerará uma grande onda de interesse do usuário desde o início. Ao mesmo tempo, as editoras registram um afastamento do leitor devido a rejeição ao modelo de exibição pay wall.

RSS
Facebook
Twitter
LinkedIn

Tags: , , , , , , ,

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Nome (obrigatório)

E-mail (não será mostrado) (obrigatório)

Website

Mensagem (obrigatório)

Top
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial