TI INSIDE Online -

RSS Feed Compartilhe TI INSIDE Online no Facebook Compartilhe TI INSIDE Online no Twitter Compartilhe TI INSIDE Online no Google+ Compartilhe TI INSIDE Online no Linkedin

Quo Vadis TI?

Postado em: 14/08/2008, às 17:09 por Redação

A área de Tecnologia da Informação vem sofrendo mudanças profundas e esse fenômeno aumentará nos próximos anos. Além da maior integração com a estratégia de negócios da organização, exige-se do profissional de TI funções menos técnicas e mais direcionadas ao relacionamento com fornecedores e parceiros externos, reflexo da crescente onda mundial do outsourcing.

Em pesquisa, o Instituto Gartner revela que todas as organizações terão de repensar as estruturas de cargos e funções de TI para se adequarem melhor à competitividade e as pressões de negócios. Segundo o estudo, 75% das organizações de TI deverão mudar suas funções até 2011. A sondagem com os 35 mil clientes do Gartner indica que as equipes de TI serão 20% mais enxutas e que haverá diminuição em 40% das soluções internas de tecnologia.

O estudo do Gartner aponta, ainda, que a mudança será mais radical em empresas conservadoras, sobretudo os grandes e tradicionais grupos que ainda vêem a TI como commodity. Este perfil corporativo, tratado pelo Gartner como "heritage", representava 65% das organizações de TI em 1996. Em 2011 cairá para 10%. São empresas com foco em eficiência, enquanto as "alinhadas" já enxergam tecnologia como algo mais relacionado às estratégias do negócio. Por sua vez, as empresas "engajadas" têm valores de TI agregados aos processos, enquanto nas denominadas "de fronteira", a própria área de TI lidera o desenvolvimento de melhorias dos processos. Hoje, a tecnologia é preponderante nas empresas em que a TI já está "embutida" na estratégia da corporação. A velha frase "cada macaco no seu galho" nunca foi tão verdadeira quanto para o cenário atual do mercado.

Nascida na década de 1980, a TI ganhou força maior nos últimos anos, impulsionada pela desgastada reengenharia e pela revolução dos processos – a onda de terceirização dos serviços e das atividades que não fazem parte do "core business" das empresas, também conhecida como outsourcing,

A não ser que a atividade-fim seja produzir, distribuir e/ou comercializar recursos de Tecnologia da Informação como hardware, software e serviços, muitas organizações já partiram ou estão partindo para a terceirização dos produtos e serviços de TI para concentrar o foco em seus objetivos de negócio. Elas não querem preocupação com a manutenção e a constante atualização de produtos de hardware e software, sem falar no desenvolvimento e atualização de sua equipe técnica para acompanhar as novas tecnologias surgidas no mercado. A nova realidade gerou dois ramos: o usuário dos recursos de TI e o fornecedor de recursos de TI.

Em pouco tempo, as empresas usuárias dos recursos de TI descobriram que a terceirização de serviços da parte inferior da cadeia de valor – infra-estrutura, desenvolvimento de software e suporte técnico – pouparia mais dinheiro. Mas, perceberam que o topo da cadeia – a análise e a gestão de processos de negócios e o alinhamento com a estratégia de negócio da empresa – era onde estava concentrado o capital intelectual e a inteligência do negócio, elementos fundamentais para o diferencial competitivo. Essa é a razão para os departamentos de TI de empresas usuárias dos recursos de TI necessitarem de profissionais com maior conhecimento do negócio e habilidade de relacionamento. Ainda haverá oportunidades para as pessoas de perfil técnico, mas externamente, em empresas fornecedoras de recursos de TI.

Em vez de técnicos altamente especializados em tecnologia, por exemplo, será mais comum encontrar nos departamentos de TI gestores e analistas de processos, especializados no negócio-fim da organização, responsáveis pelo relacionamento com empresas e provedores de serviços de outsourcing. Se os resistentes à novidade estarão fora do mercado, a capacidade de gerenciar mudanças será a nova premissa do profissional de TI.

Paulo Antonio de Almeida, PMP
Diretor-presidente da KPO Consulting and Educational Services

Tags:

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Nome (obrigatório)

E-mail (não será mostrado) (obrigatório)

Website

Mensagem (obrigatório)



Top