TI INSIDE Online -

RSS Feed Compartilhe TI INSIDE Online no Facebook Compartilhe TI INSIDE Online no Twitter Compartilhe TI INSIDE Online no Google+ Compartilhe TI INSIDE Online no Linkedin

África recebe financiamento para pesquisas sobre mudanças climáticas na região

Postado em: 15/12/2017, às 21:31 por Redação

O continente africano é particularmente vulnerável às mudanças climáticas, experimentando hoje longos períodos de seca e diminuições de colheita. Dada a urgência da situação e a piora das condições a longo prazo no ambiente, é de extrema importância que haja uma promoção do desenvolvimento de políticas locais o quanto antes – e essas só poderão ser viabilizadas a partir de um sólido conhecimento científico.

Por isso, as Fundações BNP Paribas e Bill & Melinda Gates, ambas comprometidas em lutar contra mudanças climáticas e na erradicação da pobreza extrema, estão lançando o One Planet Fellowship. O propósito desse projeto filantrópico, que será gerenciado pelas Mulheres Africanas de Pesquisa e Desenvolvimento Agrícola (AWARD), é oferecer recursos à pesquisa no continente africano e apoiar o trabalho da próxima geração de cientistas que terão que lidar com os desafios ainda mais complexos no futuro.

O One Planet Fellowship vai ajudar a financiar as pesquisas lideradas por cientistas africanos especializados em adaptação às mudanças climáticas, focando principalmente nos desafios dos pequenos fazendeiros. Além disso, o projeto também ajudará a fortalecer as comunidades científicas na Europa e na África através de programas de treinamento que terão aconselhamento, viagens de estudo e oportunidades de networking para os jovens pesquisadores.

A iniciativa possui apoio do Presidente da França e tem um orçamento total de US$ 15 milhões, financiado de forma igualitária pelas Fundações BNP Paribas e Bill & Melinda Gates.

Por meio do One Planet Fellowship, 120 cientistas africanos serão selecionados com base em seus projetos de pesquisa sobre adaptação climática. Cada um deles receberá uma orientação conjunta – de um cientista na África e um na Europa – e poderá trabalhar num laboratório na Europa por um período. Em troca, os escolhidos também vão orientar dois jovens pesquisadores, um de uma instituição africana e um de uma europeia. Assim, o programa vai envolver 600 cientistas no total, ao longo de 5 anos.

Na França, os pesquisadores serão recebidos na Montpellier University of Excellence (MUSE), pela Fundação Agropolis, que, junto com seus parceiros, envolve uma comunidade científica mundial com mais de 2.700 pesquisadores e professores especializados em agricultura, ciência alimentícia, biodiversidade e meio ambiente.

Patrocinadores e parceiros incluem: Centro Francês Internacional de Pesquisa Agrícola (CIRAD), Instituto Nacional Francês de Pesquisa Agrícola (INRA), Instituto de Pesquisa de Desenvolvimento Francês (IRD), Montpellier SupAgro (Instituto Nacional Francês de Educação em Ciências Agrícolas), Universidade de Montpellier e Centro Nacional Francês de Pesquisa Científica (CNRS).

Tags: , , , , ,

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Nome (obrigatório)

E-mail (não será mostrado) (obrigatório)

Website

Mensagem (obrigatório)



Top