TI INSIDE Online -

RSS Feed Compartilhe TI INSIDE Online no Facebook Compartilhe TI INSIDE Online no Twitter Compartilhe TI INSIDE Online no Google+ Compartilhe TI INSIDE Online no Linkedin

Aruba Networks vai investir em centros de P&D e estuda instalação de fábrica no país

Postado em: 19/10/2011, às 16:21 por Gabriela Stripoli e Letícia Cordeiro

Presente no Brasil desde 2008 por meio de distribuidoras, a Aruba Networks, fabricante de equipamentos de acesso a redes móveis corporativas baseadas no padrão Wi-Fi, anunciou nesta quarta-feira, 19, a abertura de três escritórios no país. A sede para a América do Sul ficará instalada no Rio de Janeiro, enquanto São Paulo abrigará o centro de gestão e vendas. Além disso, alguns funcionários irão atuar em Brasília e, ao todo, a empresa estima criar 350 postos de trabalho, diretos e indiretos.

De acordo com Alex Freitas, gerente geral da Aruba no Brasil e diretor geral da empresa para a América do Sul,  a operação local tem como foco aproveitar o potencial de crescimento do mercado e a infraestrutura do Brasil para expandir os negócios. "O Brasil é hoje a sétima economia mundial e isso fez com que o board decidisse por uma presença efetiva no país. Estamos dispostos a investir. Não viemos fazer caridade. O Brasil está em um excepcional momento econômico e queremos fazer parte dos investimentos que serão feitos para a Copa do Mundo e a Olimpíada", disse.

A estratégia será baseada em três pilares. O primeiro será o desenvolvimento e expansão do canal de vendas e deve consumir de 50% a 60% dos investimentos nesse primeiro momento. A empresa não divulga o valor que será invertido no país. Hoje, a Aruba possui cerca de 80 canais de venda certificados em toda a América do Sul, nos quais investe tanto em treinamento como na operação. No Brasil, o canal está concentrado nas regiões Sul e Sudeste, por isso, a Aruba está buscando novos parceiros de negócios para ocupar outras regiões, com destaque para o Nordeste. “Aproveitaremos o conhecimento das empresas sobre o mercado local, mas também iremos levar conhecimento da nossa tecnologia e contribuir para o desenvolvimento da região”, explica Freitas.

P&D e fábrica local

O segundo passo da estraégia da Aruba será a criação de centros de pesquisa e desenvolvimento em parceria com universidades brasileiras. Segundo Freitas, até o fim deste ano um deles deve ser inaugurado, com finalidade de complementar a formação de profissionais. Além disso, a empresa está avaliando a instalação de uma fábrica no país. O estudo de viabilidade da planta industrial já está em andamento e, para embasá-lo, executivos da companhia devem vir ao Brasil em dezembro deste ano e em março de 2012 para se reunir com o governo federal e mensurar as expectativas de investimentos públicos em mobilidade. Freitas, contudo, adota um tom de cautela e reforça que são planos de longo prazo, mas ressalta que a empresa tem muito interesse nesse projeto e está analisando todos os incentivos fiscais para concretizá-lo. "Já temos projetos em andamento com a Marinha, Exército, Petrobrás e vários órgãos públicos, além de testes para redes Wi-Fi gerenciadas para Copa do Mundo e a Olimpíada, com pilotos sendo realizados em um estádio e em vários canteiros de obra", conta.

Um dos projetos realizados pela Aruba com o governo federal deve ser anunciado até o fim de outubro. Trata-se do primeiro hospital público com infraestrutura de acesso completamente wireless da América Latina, a ser inaugurado no Rio de Janeiro. A fabricante venceu licitação para oferecer os equipamentos de acesso Wi-Fi, que incluem soluções de gerenciamento e segurança e que permitem, por exemplo, o acesso a prontuários eletrônicos e acompanhamento remoto em tempo real de pacientes do CTI através da rede VPN do hospital.

A Aruba Networks fechou o último ano fiscal, encerrado em 31 de julho, com receita de US$ 396,51 milhões e lucro líquido de US$ 70,68 milhões, revertendo o prejuízo de US$ 33 milhões registrados no ano fiscal interior. A empresa não revela números regionais, mas Freitas revela que 60% da receita no país vem do setor de governo, 20% de educação (principalmente com a iluminação de universidades), 10% da área de saúde e o restante está pulverizado em várias áreas como o varejo.

Tags: , ,

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Nome (obrigatório)

E-mail (não será mostrado) (obrigatório)

Website

Mensagem (obrigatório)



Top