TI INSIDE Online -

RSS Feed Compartilhe TI INSIDE Online no Facebook Compartilhe TI INSIDE Online no Twitter Compartilhe TI INSIDE Online no Google+ Compartilhe TI INSIDE Online no Linkedin

Logica apresenta soluções para o regulamento Solvency II

Postado em: 20/10/2011, às 16:14 por Redação

A Clear Path Analysis, editora independente do mercado financeiro, divulgou o relatório intitulado ‘Technology for Solvency II’, que apresenta um panorama mais nítido sobre os desafios que as grandes seguradoras do Reino Unido terão para se adaptarem ao novo regulamento Solvency II, que entrará em vigor a partir de janeiro de 2013. Profissionais da indústria estimam que o custo para que as companhias se adequem às novas regras deverá superar 200 milhões de libras, com até 65% dos gastos sendo direcionados para novas tecnologias.
A Logica destaca a importância para que as organizações se preparem com qualidade e rapidez para as novas normas. “Se as seguradoras quiserem prosperar no mercado atual e evitar multas, precisam assegurar a padronização. Porém, essa adequação não deve ser realizada apenas quando o Solvency II entrar em vigor”, afirma Roel Wolfert, diretor global de Marketing e Estratégia da Logica.
A companhia disponibiliza para o setor a solução Data Management Predictor, que realiza o planejamento completo dos projetos. Ela faz parte do Logica Accelerators, pacote que inclui ainda outras três soluções: Advanced Profiling (realiza a correção dos dados), Solvency II Factory (reconstrução de dados) e Testing as a Service (teste de serviços).O relatório analisa questões fundamentais tecnológicas para atender, satisfazer a estrutura e as exigências do Solvency II, que vai orientar no gerenciamento e na qualidade dos dados das empresas de seguros. Segundo a Locica, as companhias que não conseguirem adotar o regulamento terão perdas comerciais e menor competitividade no mercado. Atualmente, o foco estava nas obrigações e no passivo do balanço patrimonial, mas agora a atenção das seguradoras deverá se voltar para o ativo.
As companhias também precisam realizar o gerenciamento de riscos, para terem uma visão completa sobre suas operações e cumprirem todas as regras. “A gestão de riscos não deve servir apenas para apaziguar a agência regulatória, pois o custo desses projetos representa uma parte significativa do orçamento. Além da conformidade, deve viabilizar análises valiosas, assim como a integração e a comunicação entre os principais stakeholders da instituição”, explica o diretor da Logica. “É muito comum, em estruturas complexas de serviços financeiros, que não haja uma visão centralizada dos riscos. As inconsistências em avaliar e reportar problemas nas linhas de negócio tornou quase impossível realizar esse gerenciamento”, completa.
“É de fundamental importância criar um modelo forte de governança sobre a coleta de dados ativos. Adicione a isso questões como o investimento em alternativas, acordos de recompra, empréstimos de títulos e começaremos a ver a necessidade de uma solução robusta para atender aos requisitos do Solvency II”, afirma Paul Traynor, diretor administrativo e chefe de Seguros da BNY Mellon (The Bank of New York Mellon Corporation), uma das maiores empresas de serviços financeiros do mundo.    
No Brasil, as seguradoras também estão atentas às novas regras Solvency II. “O mercado financeiro e as seguradoras devem estar atentos ao mercado europeu, a tendência é que o mercado brasileiro acompanhe o movimento europeu e adote as novas regulamentações paralelamente. Este relatório será de suma importância para que as empresas deste segmento mantenham-se competitivas no mercado em que atuam”, afirma Paulo Martins, Managing Director para o Mercado Financeiro da Logica América do Sul. 

Technology for Solvency II

É o segundo relatório anual com foco no papel da tecnologia nas instituições de seguros. Liderado por 19 dos mais conhecidos especialistas do setor europeu, examina questões macro relativas à natureza dinâmica do Solvency II e as questões micro da utilização da tecnologia além das fronteiras, grupos de produtos e para enfrentar desafios operacionais e riscos.

Tags:

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Nome (obrigatório)

E-mail (não será mostrado) (obrigatório)

Website

Mensagem (obrigatório)



Top