TI INSIDE Online -

RSS Feed Compartilhe TI INSIDE Online no Facebook Compartilhe TI INSIDE Online no Twitter Compartilhe TI INSIDE Online no Google+ Compartilhe TI INSIDE Online no Linkedin

Continua Alliance quer incentivar interoperabilidade entre dispositivos de m-health

Postado em: 21/10/2013, às 14:48 por Claudiney Santos

Promover a interoperabilidade entre os equipamentos de mobile health e explorar as oportunidade de um mercado que pode chegar a US$ 403 bilhões, é dos principais objetivos da Continua Health Alliance internacional, que promoveu através do recém-criado capítulo brasileiro, um debate sobre a necessidade de estabelecer no Brasil a conectividade dos devices dedicados ao monitoramento da saúde, tanto os de uso pessoal quanto os corporativos.

A entidade que reúne empresas como Intel, Qualcomm, Cisco, Bosch, Siemens, Philips, Samsung, entre outras, quer estimular o desenvolvimento de soluções e fóruns técnicos voltados a tirar do isolamento o segmento de saúde conectada, trabalhando juntos aos governos e agências reguladoras do setor.

Segundo os participantes do debate, um dispositivo pode demorar até três anos para ser aprovado pela Anvisa, o que desestimula o investimento do setor, que somado aos regulamentos e normas burocráticas, afasta as empresas nacionais e as estrangeiras que pretendem se estabelecer no pais. "Estamos conversando com interlocutores da ANS, Anvisa, Ministério da Saúde, para encontrarmos uma solução comum entre todos e eliminar barreiras que impeçam o crescimento do setor", explica Luiz Tizatto, presidente da Continua Health Alliance Brasil.

"Continuamos ainda empenhados em mapear os cenários e encontrar os interlocutores que podem fazer a diferença no sentido de se adotar as melhores ferramentas tecnológicas para transformar o atendimento privado da saúde no Brasil", diz o executivo.

Explica que no âmbito nacional as barreiras são inúmeras, visto que os sistemas não conversam com os equipamentos ou dispositivos médicos, além de apresentarem um custo tecnológico muito caro. Um exemplo, citado no debate, é uma pesquisa feita na área de tratamento intensivo (UTIs), que revelou que em 90% dos hospitais com 6 a 12 equipamentos ligados na UTI apenas 3 deles têm conectividade padrão.

A Continuam Alliance também busca fazer parceria com outras entidades do setor para buscar essas mudanças. A primeira que aderiu a essa iniciativa foi a ASAP – Aliança para Saúde Populacional, que atua no setor de planos de saúde e home care. "Globalmente a Continua Health Alliance reúne cerca de 280 empresas. Estamos buscando a adesão de novos associados para impulsionar nossas atividades no Brasil", explica Tizatto.

RSS
Facebook
Twitter
LinkedIn

Tags: , , , ,

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Nome (obrigatório)

E-mail (não será mostrado) (obrigatório)

Website

Mensagem (obrigatório)

Top
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial