Chinesa Xiaomi anuncia que vai comprar cerca de 1,5 mil patentes da Microsoft

0
1

A Xiaomi vai adquirir cerca de 1,5 mil patentes da Microsoft para fazer frente ao aumento de custos em decorrência da expansão do mercado de smartphones na China e também no exterior. O acordo é parte da estratégia da fabricante chinesa de celulares de montar também um amplo catálogo de propriedade intelectual para poder vender seus dispositivos além dos mercados emergentes. A meta da empresa é comercializar seus aparelhos nos Estados Unidos.

Para a Microsoft, o acordo incrementa o recebimento de royalties nos próximos anos de fabricantes de eletrônicos que usam o sistema operacional Android, do Google, que, segundo ela, utiliza algumas de suas tecnologias. O negócio entre as duas empresas é resultado da visita que o CEO da Microsoft, Satya Nadella, faz a Pequim. Um porta-voz da companhia disse ao The Wall Street Journal que Nadella está na capital chinesa como parte de uma viagem na qual pretende visitar desenvolvedores em toda a Ásia.

A Microsoft está sendo investigada pela Administração Estatal de Indústria e Comércio (AEIC) da China por sua política de bundling e à verificação de código para o sistema operacional Windows, utilizado na grande maioria dos computadores no país, e seu pacote de programas Office. O porta-voz se recusou a dizer se Nadella se reunirá com representantes de órgãos reguladores durante sua visita.

Com sede em Pequim, a Xiaomi saltou para o topo do mercado de smartphones na China em 2014, com uma estratégia de venda online enxuta, que a ajudou a manter os custos baixos. Entretanto, nos últimos tempos ela vem gradualmente aumentando os gastos com licenciamento de patentes, principalmente em um momento de desaceleração das vendas e com o mercado de telefonia doméstica saturado.

A Xiaomi ainda não tem um cronograma para o início das vendas de seus smartphones nos EUA. "Mas com certeza não será neste ano", adiantou Hugo Barra, vice-presidente internacional da companhia, em uma entrevista na terça-feira,31. Rcentemente, ela trouxe alguns produtos para os EUA, incluindo um set-top box de TV baseado no Android. "Estamos tomando as medidas necessárias para lançamento de nossa operação nos EUA, mas no momento o foco permanece na Índia", disse.

A Xiaomi entrou no mercado indiano no ano passado, mas sua escala ainda é relativamente pequena, e não figurava entre os cinco maiores fabricantes de smartphones na Índia no primeiro trimestre, segundo a IDC.

Barra diz que a empresa suspendeu temporariamente o lançamento de novos produtos no Brasil devido às incertezas na política "A empresa também decidiu levar as suas equipes de marketing internacional de volta para Pequim", disse ele.

A empresa chinesa, cujo nome significa "arrozinho" em chinês, vai comprar as patentes da Microsoft por uma quantia não revelada, disse Wang Xiang, vice-presidente sênior de cooperação estratégica da Xiaomi, em uma entrevista. Ela também assinou um acordo de licenciamento cruzado com a empresa, semelhante ao firmado um ano atrás por grandes marcas globais de eletroeletrônicos como a Samsung e Dell. Como parte do acordo, Xiaomi irá pré-configurar o Office e Skype, aplicativo de vídeo-chat da Microsoft, em alguns de seus dispositivos, incluindo o Mi Max, Redmi Note 3 e Mi 4S.

A Microsoft detém mais de 60 mil patentes, de modo que a venda para a Xiaomi representa uma pequena parte do seu portfólio, disse Jennifer Crider, porta-voz do departamento jurídico da Microsoft. "Fazemos isso periodicamente", disse ela.

Deixe seu comentário