e-Commerce registra primeiro recuo desde o início da quarentena

0
0

As vendas online no Brasil registraram retração de 5,1% na terceira semana de maio, na comparação com a semana anterior, causada pelo menor número de pedidos. Este foi o primeiro recuo desde o início da fase de isolamento social em março, segundo aponta o levantamento mais recente da Ebit|Nielsen, referência na análise de dados de e-commerce no Brasil.

Entre os segmentos com baixa performance na semana estão Eletrodomésticos (-10,7%), Eletrônicos (-5,4%) e Informática (-8,8%). Apenas Telefonia & Celular registrou desempenho positivo, com leve alta de 1,9%. Apesar de um resultado negativo na semana, a Ebit|Nielsen avalia que as vendas online no país seguem em um dos maiores patamares desde o início de fevereiro deste ano. Segundo os dados da consultoria, se comparadas a semana de 19 a 25 de maio com a de 25 de janeiro a 3 de fevereiro deste ano, há um aumento de 42,9% nas vendas.

A Ebit|Nielsen projeta um crescimento superior ao de 2019 para as vendas online do Dia dos Namorados. Segundo os dados da empresa, o período pré-Dia dos Namorados, em 2019, foi a sexta data sazonal mais importante do e-commerce brasileiro. No ano passado, as Top 5 categorias de alto interesse para data foram: Celular & Smartphone, Livros, TV, Blusa Feminina e Vinho.

Panorama do e-commerce em 2019

Segundo dados da 41ª edição do Webshoppers, o mais amplo relatório sobre e-commerce do País, elaborado semestralmente pela Ebit|Nielsen em parceria com a Elo, o setor chegou à marca de R$ 61,9 bilhões em faturamento e atingiu 148 milhões de pedidos em 2019. No ano passado, o faturamento do e-commerce brasileiro cresceu 16,3%, impulsionado pelo aumento de 21% no número de pedidos.

O aumento do número de pedidos foi acompanhado pelo maior número de novos consumidores: apenas em 2019, 10,7 milhões de pessoas estrearam suas compras no ambiente online, alta de 9% sobre 2018.

O 41º Webshoppers também identificou que o crescimento dos pedidos com frete grátis auxiliou na melhora de desempenho dos canais. As compras online, sem pagamento de frete, representaram 48% do total em 2019, com um aumento de 28% nos pedidos desse tipo, versus ano anterior. Já o frete pago teve expansão de 15%.

Deixe seu comentário