Inovação tecnológica é fundamental para a sustentabilidade futura, diz estudo

0
0

Em todo o mundo, consumidores consideram que as tecnologias da informação e comunicação (TICs) são cruciais para solucionar desafios ambientais. Além disso, entendem que a proteção ambiental é responsabilidade de governos, empresas e marcas e de ações coletivas. Estas são as conclusões do relatório "ConsumerLab: Consumers, sustainability and ICT: Perceptions and actions around climate and the role of ICT in living sustainably", que a Ericsson divulgou nesta segunda-feira, 1.

Com base em um estudo realizado junto a 12 mil internautas, o relatório revela a atual mentalidade do consumidor quanto aos principais estilos de vida ambientalmente sustentáveis. O documento aponta que hoje, 50% desses indivíduos estão preocupados com as mudanças climáticas e o aquecimento global, contra uma taxa de 13% há apenas 20 anos. No mesmo período, a preocupação com a poluição do ar e da água aumentou de 20% para quase 50%.

Globalmente, oito em cada 10 consumidores consideram os governos responsáveis pela proteção ambiental, e 70% também acham que cidadãos são responsáveis. Por outro lado, cinco em cada 10 esperam que as empresas e marcas desenvolvam ações de sustentabilidade ambiental.

Já 46% dos entrevistados veem a inovação tecnológica como essencial para enfrentar futuros desafios ambientais, e 36% gostariam que seus dispositivos oferecessem orientação sobre como viver de maneira mais consciente do meio ambiente.

"As ferramentas e os serviços de TIC podem desempenhar um papel significativo na assistência aos esforços diários do consumidor para reduzir seu impacto ambiental pessoal", afirma Maria Cristina Sellmann, SCR Manager, Ericsson LATAM. "Vemos no estudo que os consumidores percebem que as TICs são úteis em seu cotidiano, em questões de economia doméstica e assuntos ambientais e relacionados à saúde. Mas as TICs também têm o potencial de possibilitar inovações futuras em ações climáticas, e nosso estudo aponta que neste contexto, os prestadores de serviços têm uma oportunidade excelente para fornecer soluções que podem ajudar os consumidores a fazer escolhas mais sustentáveis na vida cotidiana", conclui.

Os países envolvidos no estudo incluem EUA, Brasil, Reino Unido, Alemanha, Espanha, Rússia, África do Sul, Reino da Arábia Saudita, Índia, Malásia, China e Austrália. A amostra foi composta por 1.000 entrevistados de cada país.

Deixe seu comentário