HP oficializa spinoff da divisão de PCs e impressoras com criação de nova empresa

0
19

A HP arquivou nesta quarta-feira, 1º, na Securities Exchange Commission (SEC), a CVM dos Estados Unidos, documento com os registros de dados da HP Enterprise Co., a nova empresa voltada para o mercado corporativo, o que, na prática, significa a oficialização da cisão (spinoff) do negócio de computadores pessoais e impressoras da unidade de hardware e serviços corporativos, se dividindo em duas companhias a partir de 1º de novembro.

O documento descreve o balanço patrimonial, com base no desempenho passado da divisão Enterprise Group da HP, da nova empresa de tecnologia corporativa, cuja receita foi de cerca de US$ 55 bilhões e ativos totais de US$ 65 bilhões no ano fiscal encerrado em outubro do ano passado.

De acordo com a HP, a segunda empresa resultante da cisão, a HP Inc., não é obrigada a apresentar o documento com os registros de dados porque é considerada a empresa-mãe. A única exigência é que ela publique relatório financeiro prospectivo da HP Inc., que ficará com o negócio de PCs e impressoras, antes da separação em novembro.

A decisão da CEO da HP, Meg Whitman, surgiu em razão de uma série de turbulências enfrentadas pela empresa em grande parte da última década, como a queda constante da receita, escândalos corporativos e mudanças de gestão. Além disso, a HP ficou à margem de empresas como a Amazon.com e a Apple nos mercados de computação em nuvem e mobilidade.

"Precisávamos ser menor, mais ágil, precisávamos ser mais focados", disse ela em entrevista ao The Wall Street Journal. "E nós precisávamos de uma estrutura de capital para cada empresa, que lhes permitam prosseguir com os seus objetivos."

Foco na computação corporativa

A HP tem atualmente 300 mil empregados em 170 países, espalhados por 600 localidades. O trabalho visando a cisão teve início em outubro do ano passado e foi comandado por um gabinete de gestão, formado por 500 pessoas, encarregado de criar as novas entidades corporativas, contas bancárias e os sistemas de computação que irão compor as novas empresas.

O executivo que liderou esse esforço, que consumiu US$ 1,8 bilhão, Bill Veghte, anunciou sua saída da HP na terça-feira, 30, o que pegou de surpresa o alto escalão, já que até agora o processo vinha sendo conduzido de maneira suave.

Meg Whitman será a CEO da nova HP Enterprise, enquanto Dion Weisler, que dirige negócio de PCs e impressoras, será o presidente-executivo da HP Inc.

A HP Inc. se concentrará em gerar valor aos acionistas com a expansão para novos mercados, como de impressão 3D, enquanto a HP Enterprise vai ter como foco o crescimento no mercado de computação corporativa que está sendo transformado pela nuvem. "Isso inclui a compra de novas empresas", disse Whitman. "Aquisições têm que ser uma parte do futuro da HP Enterprise, movendo-se neste mercado de forma muito rápida", finalizou.

Deixe seu comentário