Publicidade
Início Blogueria Matrizes de armazenamento totalmente flash: velocidade mata, cuidado com emoções inesperadas

Matrizes de armazenamento totalmente flash: velocidade mata, cuidado com emoções inesperadas

0
Publicidade

Velocidade é um dos aspectos que todo bom CIO tenta oferecer às partes interessadas nos negócios. E como atualmente o desempenho de aplicativos para usuários finais é o principal objetivo da maioria dos departamentos de TI, as matrizes de armazenamento totalmente flash, também conhecidas no setor como AFAs, tornaram-se blocos de construção essenciais para que os profissionais de TI transfiram a velocidade dos serviços de TI para a pilha de aplicativos. As AFAs fornecem duas importantes eficiências no datacenter. Em primeiro lugar, as AFAs possibilitam a eficiência da capacidade devido ao desempenho consistente com volume de armazenamento reduzido. Em segundo lugar, as AFAs geralmente têm uma subjacência de software que abstrai funções de hardware de armazenamento no software. Isso inclui funções como a desduplicação (ou seja, a eliminação de cópias duplicadas de dados), a compactação de dados e o provisionamento dinâmico.

Essas duas qualidades combinam-se para formar uma dupla dinâmica incrível para equipes de infraestrutura que desejam otimizar aplicativos e maximizar a utilidade das matrizes de armazenamento. Basicamente, as AFAs otimizam o uso de CPU, de modo que o número de E/S por segundo (IOPs) por host aumente e reduza o número de servidores host necessários para atender à E/S.

Então, tudo o que reluz é ouro, certo? Vá com calma. Afinal de contas, velocidade pode matar também. A imagem abaixo mostra como as AFAs afetam o ecossistema de dados. No passado, o desempenho de armazenamento tradicional era medido em termos do número de E/S, e a variável mais influente era o número de eixos. Com as AFAs, a contagem de eixos não importa; o desempenho se baseia na latência média, e essa latência é influenciada pelo número de aplicativos que serão empilhados em uma AFA. Isso significa que o congestionamento passa da contagem de eixos para o limite da capacidade de armazenamento, bem como a execução intensa em outros subsistemas da pilha geral de aplicativos.

Como consequência, a mudança para as AFAs ajuda a aliviar a contenção no volume de armazenamento e no sempre alto desempenho de E/S, mas cria novos desafios em outras áreas. Felizmente, para os profissionais de TI, esse desafio pode ser facilmente superado com uma boa ferramenta de monitoramento combinada com limites e alertas inteligentes. Os alertas permitem que os administradores de infraestrutura tenham visibilidade em importantes indicadores de desempenho, através de todo o ruído da métrica de desempenho. Os limites acionam os alertas. O uso adequado de limites na capacidade de recursos garante que todas as funções abstraídas das AFAs continuem funcionando de modo eficiente e eficaz à medida que a capacidade dos recursos aumenta e diminui dinamicamente. Quando corretamento executados, os alertas e os limites revelam rapidamente a verdade em todo o subsistema de armazenamento AFA, permitindo a orquestração, a correção e a solução de problemas apropriadas das cargas de trabalho.

Para encerrar, podemos dizer que as AFAs são ativos para qualquer organização de TI que almejem cumprir a missão do CIO (também conhecida como o SLA do CIO): manter a segurança, realizar o gerenciamento enxuto e ser ágil. No entanto, para liberar todo o potencial de velocidade e escalonamento das AFAs, os profissionais de TI precisam de uma ferramenta de monitoramento de recursos de armazenamento que ofereça limites e alertas inteligentes e, ao mesmo tempo, mantenha a simplicidade e a facilidade de uso.

Kong Yang, gerente técnico da SolarWinds.

SEM COMENTÁRIOS

Deixe seu comentário Cancelar resposta

Sair da versão mobile