Procura por profissionais especializados em proteção de dados deve crescer com entrada em vigor da LGPD

0
34

Prevista para entrar em vigor neste mês, a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) vai exigir que empresas de todos os portes ou áreas de atuação, que detenham informações de consumidores, empregados, parceiros e representantes e ainda não se adaptaram às regras, organizem e capacitem suas estruturas.

Entre as várias medidas que as empresas devem adotar para implantar a LGPD está a indicação do Data Protection Office (DPO), que é o profissional responsável pelas ações de conformidade com a lei, além de ser o canal de comunicação entre a empresa, os titulares das informações e as autoridades.

"A LGPD já é uma realidade e irá entrar em vigor em breve. A partir da entrada em vigor, os titulares de dados já poderão exigir os seus direitos, inclusive judicialmente. É muito importante que todas as organizações, de qualquer vertical de negócios, organizem suas estruturas, treinem e capacitem seus times, pois a lei será um grande desafio", afirma Italo Nogueira, presidente da Federação Assespro, que reúne 2.500 empresas do setor de TIC (Tecnologia, Informação e Comunicação).

A indicação do DPO, completa o dirigente, é fundamental. "Esse profissional será a interface de contato com os titulares de dados. As empresas devem indicar o DPO o mais rapidamente possível", diz Nogueira.

Profissional valorizado

A procura pelo profissional deve crescer nos próximos meses e, no mercado, os salários devem partir de R$ 8 mil e podem passar dos R$ 20 mil.

"Imaginamos que a demanda por encarregados de dados ou o DPO vai crescer muito e uma forma para comprovar o mínimo necessário para atuação na área é, justamente, um certificado, principalmente se a pessoa não tem qualquer tipo de experiência, até porque a profissão é nova. O certificado vai ser um diferencial", afirma Rubia Ferrão, facilitadora do painel Proteção de dados pessoais da criança e adolescente da CERS.

Pioneira em oferecer cursos de formação de profissionais especialistas na área, a Federação Assespro e suas regionais, em parceria com o CERS (Centro Educacional Renato Saraiva), lançaram um curso completo de formação para DPO.  O público-alvo são os profissionais dos setores jurídico, compliance, gestão, segurança da informação, tecnologia, de empresas com atuação multinacional e nacional. 

Deixe seu comentário