Como o processo de GRC pode transformar os riscos em resultados

0
0

Após um longo período marcado por empresas envolvidas em fraudes junto ao governo, e um cenário complexo e desafiador da economia e dos negócios no Brasil, muitas organizações perceberam que não possuem uma estrutura, metodologia e elementos para fazer a própria gestão de riscos, e com isso, passaram a enxergar a importância desse gerenciamento e do compliance dentro de suas instituições.

Pesquisas sobre o modelo de trabalho GRC (Governança, Riscos e Compliance) apontam que as instituições passaram a monitorar um número maior de riscos. Os dados evidenciam um aumento da preocupação – e consequente tomada de ação – das companhias que atuam no Brasil em gerenciar riscos de forma mais efetiva, frente às transformações do ambiente de negócios do País. As empresas buscam por plataformas de GRC que aumentem a transparência do seu negócio e confiança de stakeholders, evitando situações que podem, inclusive, manchar a reputação e imagem da companhia diante do mercado.

É importante ressaltar que a maturidade da gestão de riscos direciona os resultados financeiros de uma empresa e as de melhor desempenho são aquelas que desenvolveram expertise para detectar quais são os seus riscos relevantes e como fazer para mitiga-los. Por outro lado, as empresas menos maduras buscam consultorias para fazer uma análise de seus processos e riscos para identificar problemas e tentar resolvê-los.

Podemos classificar como "dores dos clientes" erros que surgem quando da execução da estratégia por conta da não identificação, ou não inclusão, dos riscos no planejamento inicial e que podem comprometer o alcance dos resultados previstos.  Quando os processos não são eficientes e os controles internos não estão associados aos riscos corporativos toda a cadeia de valor estará afetada e o cliente, com certeza, não terá uma boa experiência com o produto ou serviço ofertado.

A tecnologia, aliada a uma gestão de riscos eficiente com o apoio de especialistas com grande conhecimento sobre GRC dão um novo ânimo às empresas brasileiras, que passaram por muitos desafios neste cenário de instabilidade econômica. Com a utilização das ferramentas, as instituições começam a colocar "ordem na casa", confiantes de que não terão prejuízos, e sim um crescimento constante.

Dentro deste panorama, a Nasdaq BWise possui soluções perfeitamente integradas e inteligentes, capazes de consolidar informações de diferentes áreas mantendo uma única base de dados, eliminar redundâncias de atividades e controles, localizar possíveis perdas e mitigar riscos de multas, penalidades e descumprimentos de leis e regulamentos que possam impactar os objetivos estratégicos da empresa e consequentemente o seu ROI.

Seguindo as etapas do que chamamos de "GRC JOURNEY FRAMEWORK", é possível ampliar progressivamente a maturidade dos sistemas de Gestão de Riscos e de Controles Internos, com um grande diferencial proporcionado pela ferramenta, representado pela gestão integrada de riscos que incentiva o trabalho colaborativo entre as áreas de 1ª e 2ª linhas de defesa, já promovendo ações de maneira rápida e eficiente. A implantação desta ferramenta também contribui para a melhoria da cultura da empresa.

Claudinei Elias (foto), 27 anos de experiência na área de Seguros e Resseguros em Programas Complexos de Grandes Riscos e na Gestão de Riscos Corporativos. Atuou em empresa de tecnologia com foco em riscos para grandes corporações internacionais dos setores de Defesa, Aviação, Tecnologia e Serviços Financeiros na Europa e nos EUA. Nos últimos 11 anos, é o responsável pela operação de empresas internacionais no setor de tecnologia no Brasil e na América Latina. Atualmente, é Managing Director da Nasdaq BWise, Brasil.

Wagner Roberto Pugliese, 30 anos de experiência como executivo de Auditoria Interna, Compliance e Controles Internos em empresas como Banco Itaú Unibanco, PWC, Banco Votorantim e Duratex. Desenvolveu outras atividades como membro de Comitês de Auditoria, como presidente do CLAIN (Comitê Latino-Americano de Auditoria Interna e Gestão de Riscos da Felaban – Federação Latino-Americana de Bancos) e como Diretor Setorial de Auditoria na Febraban (Federação Brasileira de Bancos). Em fevereiro de 2017, assumiu a posição de Practice Leader, GRC Solutions na Nasdaq BWise Brasil. Nesta posição, Pugliese suportará as organizações no desenvolvimento de suas iniciativas de GRC, convertendo as necessidades das organizações em Produtos e Serviços, ditando tendências e estabelecendo a marca Nasdaq BWise na América Latina.

Deixe seu comentário