Publicidade
Início Notícias Gestão ABB vai aprimorar a qualidade dos dados e a eficiência das operações...

ABB vai aprimorar a qualidade dos dados e a eficiência das operações de carga e descarga no Tecon Rio Grande, da Wilson Sons

0
Publicidade

A Wilson Sons, operador integrado de logística portuária e marítima do mercado brasileiro, adquiriu o sistema de reconhecimento ótico de caracteres (OCR) da empresa ABB, a ser implantado em guindastes STS no Tecon Rio Grande (RS), que inclui o módulo QuayPro, para digitalizar os processos de confirmação de estiva de contêineres.

Desde 2013, a empresa já vem utilizando os sistemas de portões automatizados da ABB nos terminais de contêineres Tecon Rio Grande e Tecon Salvador. A implantação do sistema OCR junto com o software QuayPro, incorporados ao sistema existente, consolida o objetivo da empresa de automatizar e digitalizar os processos dos terminais. “Esta parceria representa mais um passo no nosso compromisso de obter operações ainda mais eficientes e sustentáveis, por meio da tecnologia e da automação de processos”, afirma Paulo Bertinetti, diretor-executivo do Tecon Rio Grande.

A solução OCR fornecida pela ABB automatiza o processo de captura de dados à medida que os contêineres são carregados e descarregados pelos guindastes STS. Com a avançada tecnologia de imagem por inteligência artificial da ABB, o sistema captura o número de cada contêiner, os códigos ISO, orientação das portas, presença de vedação com parafusos, e etiquetas que indiquem a existência de materiais perigosos, além de gravar imagens para fins de inspeção de danos. Com o sistema de gerenciamento de exceções, os profissionais responsáveis podem, remotamente, corrigir ou ajustar transações em tempo real. A solução também inclui o ABB MatchMaker, que identifica os caminhões que operam no terminal, permitindo a transferência automatizada entre os guindastes e os veículos do terminal.

“O sistema OCR da ABB nos propicia uma vantagem em termos de eficiência, enquanto a capacidade de agilizar o processo de estiva representa automaticamente um diferencial para a produtividade”, afirma Giovanni Phonlor, diretor de Operações do Tecon Rio Grande. “Minimizar o risco de erros na entrada de dados significa operações mais eficientes. A tecnologia trabalha lado a lado com operações mais enxutas e ecológicas, prontas para o crescimento do tráfego e da capacidade das embarcações”, acrescentou.

Aliando-se o sistema OCR com o módulo QuayPro da ABB, é possível simplificar o processo de confirmação de estiva, resultando em maior produtividade. O módulo determina a posição real dos contêineres durante as operações de carregamento da embarcação, fornecendo informações ao sistema operacional do terminal, resultando em um arquivo BAPLIE (com informações sobre espaços ocupados e vazios no plano de carga) mais preciso, além de confirmar as posições iniciais de estiva. Qualquer desvio do plano de carga ou descarga é informado em tempo real, permitindo que o terminal se adapte às variações dinâmicas. Além disso, os operadores de guindastes recebem instruções de trabalho audiovisuais.

“O novo módulo QuayPro é mais do que uma extensão do sistema OCR; ele irá mudar a forma de operação dos terminais de contêineres. Estamos orgulhosos de poder estreitar ainda mais nosso relacionamento com a Wilson Sons e ver o impacto positivo da nossa tecnologia nas operações do Tecon Rio Grande”, disse Richard Micheli, gerente da Linha de Produtos OCR da ABB Marine & Ports.

O Tecon Rio Grande é o terminal de contêineres mais automatizado do Brasil. Mantém em sua estrutura nove STSs (Ship to Shore Container Crane — capazes de operar em navios de até 24 contêineres de largura) e 22 RTGs (Rubber Tyred Gantry Crane, pontes rolantes sobre rodas utilizadas na movimentação dos contêineres no pátio), além de dois Mobile Cranes (guindaste controlado por cabos), nove Reach Stackers (empilhadeiras de contêineres) e 56 tratores de pátio. O terminal gaúcho possui ainda 10 gates totalmente automatizados, tecnologia também implantada em parceria com a ABB, para a entrada e saída do terminal com biometria, pesagem automática e impressão de ticket, além de 2.800 tomadas para contêineres refrigerados (reefer).

Por meio do Tecon Rio Grande, a Wilson Sons também se tornou, em 2022, a primeira companhia da América Latina a ingressar no TIC 4.0 (Terminal Industry Committee), o comitê global de inovação em terminais portuários. O TIC 4.0 coordena a implementação da 4ª revolução industrial no setor de movimentação de cargas, reunindo players globais tanto da indústria de operadores de terminais quanto de fabricantes e fornecedores de equipamentos e tecnologia de ponta portuários.

No ano passado, a Wilson Sons, em permanente busca de aperfeiçoamento de seus serviços com tecnologia, fez também a atualização da versão do sistema para operações do Tecon Rio Grande. A nova versão da líder global em gestão de terminais portuários Navis N4, a 3.8, traz uma série de melhorias, como a mobilidade para o plano do navio e do pátio, que agora podem ser feitos via tablet. A nova plataforma permite ainda adicionar módulos novos como se fossem aplicativos, reduzindo tempo e investimento em novos recursos. Além de ser um sistema mais moderno, que prepara o terminal para novos investimentos em automação, a ferramenta agiliza a gestão de EDI’s (Electronic Data Interchange) para administração de interface com armadores. Há ainda ganho de performance geral e na velocidade do sistema, uma vez que reduz a incidência de falhas de funcionamento.

O Tecon Rio Grande conta ainda com a Teconline, plataforma com mais de duas décadas de funcionamento e mais de 2,6 mil usuários ativos de diversos países, que atende transportadoras, despachantes, armadores, órgãos anuentes, clientes, agentes de carga, entre outros, na consulta de informações sobre cargas, programação de navios e agendamentos.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Sair da versão mobile