Brasil e União Europeia desenvolvem projetos na área de TICs

0
0

BRASÍLIA — O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI) anunciou projetos conjuntos contemplados na chamada MCTI/CNPq nº 13/2012 do Programa de Cooperação Brasil-União Europeia, direcionado para a área de tecnologia da informação e comunicações (TICs). A chamada destinará R$ 13 milhões do Fundo Setorial para Tecnologia da Informação (CT-Info), coordenado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), mais de R$ 1,8 milhão do CNPq e 5 milhões de euros da União Europeia.

Segundo o secretário de política de informática do MCTI, Virgilio Almeida, foram 64 projetos inscritos. Ele destacou a importância da parceria com a União Europeia, devido à expertise da região na área de TICs. "Esta colaboração é muito importante, afinal, o conhecimento de nosso parceiro neste quesito é admirável. A importância de sua rede e a tradição nas cooperações bilaterais com o Brasil também são fatores marcantes que impulsionam este programa", disse durante o Américas Fórum TIC, evento organizado pelo Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict/MCTI), que ocorreu na última quarta-feira, 31, em Brasília.

De acordo com o presidente do CNPq, Glaucius Oliva, as iniciativas conjuntas visam estreitar a relação entre as partes envolvidas, já alinhadas em questões conceituais, com a premissa do resultado direto para a sociedade."Cada vez mais a União Europeia tem olhado para o exterior, assim como o Brasil, pois a ciência não tem fronteiras. Nas experiências anteriores, tivemos projetos bem desenvolvidos. Nossa prioridade sempre será o benefício para a sociedade", afirmou ao destacar que o financiamento será integral e não apenas de auxílio e custeio.

Linhas temáticas

Os projetos contemplados estão atrelados a quatro linhas temáticas pré-definidas na chamada. O EUBrazilCC insere-se na linha "computação em nuvem para a ciência" e será coordenado no Brasil, por Francisco Vilar Brasileiro, da Universidade Federal de Campina Grande. O IMPReSS, coordenado por Djamel Fawzi Hadj Sadok, da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), está vinculado a "tecnologias sustentáveis para uma sociedade mais inteligente". Os outros dois selecionados enquadram-se nas linhas "serviços e aplicações inteligentes para uma sociedade mais inteligente" e " aplicações e serviços de TV híbridos de transmissão e de banda larga". São eles, respectivamente: Rescuer, que tem como coordenador Manoel Gomes de Mendonça Neto, da Universidade Federal da Bahia (UFBA), e Global ITV, com coordenador Marcelo Knörich Zuffo, da Universidade São Paulo (USP). Com informações do MCTI.

Deixe seu comentário