Portugal Telecom deixa participação na Contax e firma acordo para fusão com a Oi

2
6

A Contax Participações, empresa especializada na terceirização de processos de negócios (BPO), que controla a CTX Participações, emitiu fato relevante nesta quarta-feira, 2, sobre o recebimento de comunicado de suas acionistas controladoras informando que a AG Telecom Participações, Andrade Gutierrez Telecomunicações, LF Tel, La Fonte Telecom, PASA Participações, EDSP75 Participações, Portugal Telecom e Bratel Brasil firmaram acordo para a reorganização societária da PASA, EDSP 75, AG e LF.

O objetivo da operação é segregar as participações detidas por AG e LF na CTX e na Contax em sociedades que serão constituídas para este fim, além de permitir que a Portugal Telecom deixe de ter participação no negócio de contact center e concentre seus investimentos no Brasil exclusivamente em atividades de telecomunicações através da Oi. A reorganização será realizada por meio de cisões da PASA, EDSP 75, AG e LF e da troca de ações entre a Portugal Telecom e os demais acionistas da PASA, e entre o grupo português e os demais acionistas da EDSP75.

Uma vez consumadas as cisões, a operadora portuguesa e os acionistas das duas empresas farão a troca de ações de emissão da CTX, da Contax e das novas sociedades constituídas, chamadas de Newcos, por ações da AG e LF — ou da Telemar Participações/Oi —, de modo que a Portugal Telecom deixa de ser acionista, direta ou indiretamente, da companhia de contact center e das Newcos. Com isso, os demais acionistas da PASA e da EDSP75 passam a ser titulares das ações da CTX e Contax e os únicos acionistas das Newcos.

Fusão

Paralelamente a essa reorganização, a Oi e a Portugal Telecom anunciaram a celebração de memorando de entendimentos para a fusão de suas operações com a criação de uma nova empresa, provisoriamente denominada CorpCo. A nova companhia, que terá capital pulverizado nas bolsas do Brasil, Nova York e Lisboa, já nasce com cerca de 100 milhões de clientes e permitirá captura de sinergias de cerca de 5,5 bilhões de reais, segundo os dois grupos.

Como parte da operação, pretende-se realizar um aumento de capital da Oi no valor mínimo de R$ 13,1 bilhões, com o objetivo de alcançar R$ 14,1 bilhões. A composição do capital considera o valor o mínimo de R$ 7 bilhões, podendo chegar a R$ 8 bilhões em dinheiro, e R$ 6,1 bilhões em ativos da Portugal Telecom, excluindo a operação da Oi e da Contax.

O grupo afirma que o aumento de capital vai melhorar a flexibilidade financeira, reduzindo assim o risco financeiro da companhia, além de permitir que ela continue a investir no crescimento de seu negócio.

A conclusão da operação está condicionada às devidas aprovações tanto de instituições regulatórias como dos fóruns de acionistas nos dois países — Brasil e Portugal. A previsão é que a operação seja concluída até o fim do primeiro semestre de 2014.

2 COMENTÁRIOS

  1. Os trabalhadores da Contax alem de ganhar pouco tem suas carteiras de trabalho assinadas como Representante de Serviços. Qualquer coisa minúscula e motivo para advertência e suspensão e nos paga uma PL ridícula. Possui alguns supervisores mal treinados e sem competência alguma para o cargo. O trabalhador não pode passar mal, ficar doente, casar, por um atestado por algum motivo de doença e dar a luz e nem marcar uma audiência com a justiça, pois se uma dessas coisas acontecer, vc perde suas folgas e sua remuneração variável.

Deixe seu comentário