Publicidade
Início Notícias Gestão SAP Ariba defende automatização de processos de compra para a construção de...

SAP Ariba defende automatização de processos de compra para a construção de empresas mais éticas e sustentáveis

0
Publicidade

A automatização do processo de compras ou e-procurement não é algo novo, mas ainda atrai, por diferentes motivos, grandes e médias empresas. Isso porque cresce no mundo dos negócios demandas como transparência e ética, sem esquecer a constante necessidade de economia e a cada vez mais atual agilidade nas respostas aos clientes.

Especialista no tema e-procurement, a SAP Ariba fez uma análise da sua base de clientes e concluiu que dos 23 trilhões de dólares movimentados em compras no ano passado 3 trilhões de dólares passaram pela sua base de sistemas. “Mais de 10% dos negócios passaram pelas nossas ferramentas, que trazem diferentes níveis de inteligência para aumentar a segurança corporativa”, disse Tiffany Eberhard, diretora de marketing global da SAP Ariba, durante abertura do evento SAP Ariba Live, que acontece esta semana em Austin (EUA).

Ética, responsabilidade, compliance e sustentabilidade são os termos mais explorados pela companhia. Durante a abertura do encontro, Norbert Riezler, vice-presidente sênior e chefe de compras e sustentabilidade da Las Vegas Sands Corp., destacou que a implantação do SAP Ariba permitiu aos líderes da companhia tomarem decisões de compra e financeiras com mais segurança e agilidade.

“Nestes três primeiros meses do ano já recebemos mais de 160 mil hospedes, o que dá a dimensão da importância de sermos ágeis e transparentes nas negociações de compras”, ressaltou. Segundo ele, todos os contratos da Las Vegas Sands são negociados, assinados e gerenciados pelo sistema. “O mais importante é que precisamos negociar com velocidade e ter os pedidos confirmados em tempo real”, comentou.

Mundialmente, a plataforma SAP Ariba conecta mais de 3,8 milhões de empresas em 190 países. De acordo com a companhia, mais de 2,64 trilhões de dólares em compras são fechados anualmente por esta base, algo como 2,3 vezes a soma dos negócios intermediados pela eBay, Amazon e Alibaba juntos.

Na América Latina, representada por 100 pessoas e 50 empresas no evento, mais de 530 mil compradores e fornecedores estão conectados à rede Ariba. Nos últimos 12 meses, essas empresas trocaram mais de 1,4 milhão de pedidos, em valor que superou os 40 bilhões de dólares, e mais de 950 mil faturas avaliadas em 6,7 bilhões de dólares.

Particularmente sobre o Brasil, Catalina Manrique, gerente geral da SAP Ariba AL, destacou que várias empresas investigadas pela Operação Lava Jato adquiriram a plataforma em busca de transparência. “Quando uma empresa possui um processo de compra transparente, com o qual pode comprovar o porquê das decisões, com tudo documentado, há zero espaço para ruídos”, defendeu a executiva.

Dona da fabricante Vigor no Brasil, a mexicana Lala compõe a lista de clientes regionais da empresa. A companhia está no 4º ano de uso da suíte completa do SAP Ariba e já negocia a renovação do contrato por mais quatro anos, informou Eric Zuno, procurement transformation project manager da Lala. Ele contou que a companhia está promovendo uma transformação interna, o que inclui a reengenharia de processos, e que já está definida a atualização do sistema em todas as unidades. Para a Vigor, em particular, está em estudo a implantação do SAP Ariba nos próximos 24 meses. “Planejamos levar tanto a parte estratégica quanto tática do sistema, mas há alguns módulos SAP que precisam ser atualizados”, explicou.

Usuária da plataforma de e-procurement há cerca de um ano, a multinacional peruana Yanbal, que fabrica e vende produtos de beleza e cosméticos diretamente, iniciou o seu processo de transformação digital a partir da área de compras. “As economias em desenvolvimentos devem pensar primeiro em melhorar os seus processos de compras e logística”, disse Carlos Miguel Delgado, diretor corporativo de compras da Yanbal. Por meio da digitalização, a empresa quer chegar à simplificação dos processos de compras e, para isso, está transferindo para uma espécie de catálogo todos os itens já negociados. “Nosso objetivo é ter de 30% a 40% das compras internas feitas por este catálogo digital, já no final deste ano”, informou o executivo.

*A jornalista Jackeline Carvalho viajou a Autin a convite da SAP Brasil

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Sair da versão mobile