Plataforma Vevee reúne médicos e enfermeiros voluntários para combate ao Covid-19

0
0

Em meio à pandemia, plataforma Vevee se propõe a conectar pacientes à médicos, usando a telemedicina para fazer as orientações de forma remota e gratuita, sem a necessidade de se deslocarem. O objetivo é frear a ida de pacientes com gripes comuns ou sem necessidade de internação aos hospitais, já que cada um pode contaminar outros cinco nesse trajeto.

A primeira meta é ter 3 mil médicos voluntários atendendo por apenas 3 horas por dia, o que beneficiaria 3 milhões de pessoas ao mês.

"Vendo um vírus ganhando escala global, nós do Vidas Group vimos a necessidade de usar nossos recursos para combater de frente e na mesma proporção o problema; e o único jeito de ganhar escala é utilizando a tecnologia", explica David Ribeiro, CEO do Vidas Group. Também compõem o time, Felipe Castro, Thiago Ferreira, Diego Rodriguez e Gleiverson Vinagre, experientes profissionais em suas respectivas áreas.

"Montamos um time completo, composto por especialistas em desenvolvimento, usabilidade, estratégia e tudo o que precisaríamos para montar uma empresa, com a diferença que essa é uma ação completamente sem fins lucrativos e que visa reduzir ao máximo o número de infectados em nosso País. Também foi fundamental o apoio da AWS, que está oferecendo a hospedagem da plataforma. Sem isso, não conseguiríamos sequer tentar", completa David.

Segundo o executivo, a principal preocupação agora é a adesão da classe médica. "Estamos promovendo um chamado para que os médicos que não estejam na linha de frente doem um pequeno tempo do seu dia para atender os pacientes, no horário que preferir e no formato de fila de espera. Nosso público é o médico que está estabilizado financeiramente e como todo brasileiro está sensível com a preocupação do coronavírus e pode ajudar doando o que tem de mais valioso: o conhecimento", acrescenta o executivo.

O processo para cadastro dos médicos é bem simples e passa pela validação do CRM do médico apenas como ferramenta de segurança. A ideia é promover o combate cirúrgico do foco. Os dados colhidos, respeitando a privacidade de todos, ficarão à disposição de órgãos de saúde que tenham interesse em acrescentar esforços.

Deixe seu comentário