Estudo mostra que governança, operações e proteção de dados estão convergindo para tomadas de decisão mais inteligentes

1
21

A erwin, companhia que pertence à Quest Software ­- fornecedora global de software de segurança, de gestão de plataforma e de sistemas Microsoft – lança a pesquisa "2021 State of Data Governance and Empowerment. O estudo revela que os silos entre governança, operações e proteção de dados estão diminuindo à medida que as empresas buscam entender seus dados e seus sistemas para capacitar a tomada de decisões mais inteligentes.

Com foco na maturidade da governança de dados, o relatório deste ano também abordou a evolução do conceito e sua conexão com os sistemas operacionais e estratégias de proteção de dados que o sustentam. A pesquisa mostra que 82% das organizações alinharam principalmente, senão completamente, suas estratégias de governança e proteção de dados, com 55% dos entrevistados citando "proteção de dados" como o termo que mais associam à governança. Além disso, 85% monitoram seus bancos de dados e outros sistemas como parte de seus programas de governança. Além disso, quase 75% relatam a necessidade de melhorar drasticamente a infraestrutura de dados.

"Os resultados confirmam uma grande mudança no mercado com a convergência entre governança, operações e proteção de dados. Os chamados silos tradicionais estão diminuindo porque as empresas precisam fornecer inteligência a seus escritórios sobre seus ativos, além dos sistemas que usam e protegem os dados. Sem essas disciplinas e suas respectivas soluções trabalhando em conjunto, um pipeline de dados automatizado, seguro e de alta qualidade no qual basear as decisões críticas não pode existir", afirma Rogério Soares, diretor de Pré-Vendas e Serviços Profissionais da Quest Software.

Embora os motivos tradicionais para implementar a governança de dados permaneçam praticamente inalterados, sendo análise (35%), conformidade regulamentar (34%) e melhor tomada de decisão (27%) como os três principais, a segurança de dados aprimorada (48%) e qualidade de dados (45%) entraram como os principais impulsionadores de governança de dados de 2021. Estes fatores se alinham com o aumento nos desafios de segurança enfrentados devido à Covid-19, além da proliferação contínua de dados, e são os principais motivos pelos quais 57% dos entrevistados têm o avanço da governança de dados como uma das cinco principais prioridades organizacionais.

No geral, o item atingiu um novo nível de maturidade, com 87% das organizações relatando que estabeleceram um programa de governança de dados ou estão em processo de implementação deste princípio fundamental dos negócios modernos, em comparação com 49% em 2020.

"De acordo com a pesquisa, 84% das organizações acreditam que seus dados representam a melhor oportunidade para obter uma vantagem competitiva nos próximos 12 a 24 meses. Embora os dados sejam um diferenciador e os programas de governança de dados sejam mais maduros, vários desafios constantes impedem as organizações de atingir seus objetivos centrados em dados, avalia Soares. "Muitos dados que são muito distribuídos são difíceis de gerenciar. Lacunas de habilidades, custos crescentes e o tempo lento para valorizá-los estão se tornando fardos pesados. Para alcançar o 'nirvana dos dados', as organizações precisam de especialistas em cargas de dados e capacitar mais pessoas para acessar e analisar dados com confiança".

Mais de 200 entrevistados participaram da pesquisa de 12 a 22 de março de 2021. Eles incluem uma combinação de profissionais de negócios (40%) e TI (60%), responsáveis por/ familiarizados com a governança de dados de suas organizações e operações de inteligência e empregado em organizações com mais de 1.000 funcionários com receita anual de mais de US$ 100 milhões.

1 COMENTÁRIO

Deixe seu comentário