Ranking 100 Open Startups divulga 10 melhores startups de IA

1
22

100 Open Startups, plataforma internacional de conexão entre corporações e startups, anunciou nesta semana o ranking que reconhece as startups mais atraentes para o mercado corporativo no país e queremos destacar aqui as dez startups de IA que lideram a inovação aberta no Brasil, chamado de TOP 10 Artificial Intelligence  

Na lista, na ordem, aparecem Pix Force, Sentimonitor, 42 Codelab, Datarisk, PROA Inteligência Artificial, Vulpi, 4VANTS, 4intelligence, NeuralMind e Jobecam.  

"Das startups premiadas na categoria, duas são novas em relação ao Ranking 2020, o que demonstra que o setor de inteligência artificial tem buscado soluções inovadoras das startups, mesmo sendo um dos mais impactados pela pandemia", diz em comunicado Rafael Levy, CTO e cofundador da 100 Open Startups.  

De acordo com dados da premiação, apesar da pandemia, a atividade de inovação aberta com startups dobrou no último ano. Para a edição 2021, que conta com o patrocínio do inovabra, ecossistema de inovação do Bradesco, foram declarados 26.348 relacionamentos de open innovation entre corporações e startups, enquanto em 2020 foram 13.433 relações declaradas.  

Das mais de 18 mil startups cadastradas, 2.414 tiveram contratos de open innovation com corporações validados para o Ranking 2021, contra 1.310 em 2020, ou seja, mais de 1.000 novas startups geraram impacto nas cadeias tradicionais apenas neste ano.   

No que se refere às categorias que mais fizeram inovação aberta, ou seja, que somaram mais pontos, destacam-se as startups de Artificial Intelligence, Big Data e Productivity. Já a modalidade de contratos mais comum de acordo com a metodologia do Ranking, foi o grupo de Desenvolvimento de Fornecedores, com mais de 7.800 contratos. Isso mostra que as corporações estão renovando as suas cadeias de fornecimento, incluindo, cada vez mais, as startups em seus processos.  

Quanto à pontuação total do Ranking – que reflete a quantidade e a intensidade dos relacionamentos entre as corporações e as startups -, esta passou de quase 35 mil pontos, em 2020, para mais de 75 mil pontos, em 2021, um crescimento de 118%. Tal intensidade também cresceu 63 vezes desde 2016, quando foi iniciada a medição desse índice de inovação no Brasil, por meio do Ranking. Com isso, aumentou também a concorrência para uma posição na premiação. No ano passado, para estar entre as TOP 100, uma startup precisava de 80 pontos. Neste ano, foram necessários, pelo menos, 141 pontos.  

Outro fato relevante do Ranking deste ano é em relação à renovação das startups. Dentre as premiadas de 2021, 40% são novas quando comparadas ao Ranking 2020. Além disso, 109 startups estão aparecendo no Ranking pela primeira vez para o mercado. 

1 COMENTÁRIO

Deixe seu comentário