Sua empresa está protegida de ataques cibernéticos?

0
13

Os ataques cibernéticos têm afetado muitas empresas nos últimos meses. Isso tem acontecido principalmente porque elas estão cada vez mais vulneráveis, devido a falta de soluções para barrar a ação desses criminosos. De acordo com um estudo realizado pela Marsh em parceria com a Microsoft, somente 16% das companhias aumentaram seu orçamento em segurança da informação e cibersegurança durante a pandemia.

O levantamento mostra também que 3 em cada 10 companhias entrevistadas perceberam um aumento nos ataques cibernéticos neste período. E, dentre as principais ameaças podemos destacar: phishing (25%), malware (25%) e aplicativos web (24%). Esses números mostram que a adoção do home office desencadeou nesse aumento significativo de fraudes, porque os ambientes online ficaram ainda mais expostos à internet pública e com uma quantidade maior de usuários conectados.  

Como prova disso, pudemos ver recentemente um caso, divulgado pela PSafe, de vazamento de 223 milhões de CPF´s brasileiros e as informações de mais de 100 milhões de celulares envolvendo o tempo de duração das ligações, contato telefônico e dados pessoais.

Isso mostra que o último ano foi marcado pelo ataque massivo de cibercrimes em todos os setores, levando diversas instituições à falência. Isso acontece, pois, após sofrer o crime, o hacker sequestra e altera os dados importantes e sigilos fazendo com que a empresa não consiga acessá-los.  

Segundo a Microsoft, todos os meses, mais de 5 bilhões de ameaças digitais são registradas pelo centro de defesa cibernética da instituição. Com uma vida digital mais presente, os riscos relacionados à exposição também aumentam, tanto em relação ao compartilhamento indevido de informações como a quebra da privacidade. Mas, para evitar que isso aconteça é importante investir em soluções de segurança nos computadores dos funcionários, servidores, sistemas, entre outros. Contudo, a exposição é inerente e o risco é muito alto.

Por fim, concluo que mais importante do que investir em segurança digital, é conscientizar os usuários que eles precisam proteger os seus dados, utilizar senhas diferentes para cada acesso, baixar antivírus, realizar backup de conteúdos importantes, ter cuidado e cautela ao clicar em links ou acessar os e-mails de contatos desconhecidos. Dessa forma, com essas boas práticas, as chances de sofrer com os ataques será quase nula. Pense nisso!

Armindo Sgorlon, CEO da SGA TI em Nuvem.

Deixe seu comentário