Dropbox nomeia diretor financeiro e sinaliza que IPO pode ocorrer ainda neste ano

0
0

Sem alarde, o Dropbox, serviço de armazenamento de documentos na nuvem, promoveu no mês passado Sujay Jaswa para o cargo de diretor financeiro (CFO), que, apesar de sua pouca experiência executiva, deve ser o provável coordenador da futura oferta pública inicial ações (IPO, na sigla em inglês) da empresa, segundo pessoas familiarizadas com o assunto disseram ao The Wall Street Journal.

A escolha de Jaswa para CFO, um vice-presidente que já trabalhou na maioria das áreas de negócios do Dropbox, desde que ingressou na empresa em 2010, põe fim ao processo de busca que já durava meses, com entrevistas com vários candidatos, sem sucesso.

Ao promover o executivo, CEO do Dropbox, Drew Houston, assumiu ter desistido de trazer alguém de fora, com experiência em companhias abertas que poderia ser mais bem preparado para liderar o IPO do Dropbox. Em vez disso, ele resolveu apostar em um jovem negociador, que liderou o negócio nos anos de crescimento mais rápido.

A promoção de Jaswa ocorre poucas semanas depois da contratação pelo Dropbox de Dennis Woodside, ex-chefe da Motorola Mobility, como seu primeiro diretor de operações e de a empresa ter levantado US$ 350 milhões numa rodada de investimentos que elevou seu valor de mercado para US$ 10 bilhões.

Jaswa largou sua carreira como investidor de risco para se juntar ao Dropbox quando tinha apenas 25 funcionários. O novo contratado rapidamente causou impacto, ajudando a empresa a conseguir uma parceria de vários anos com a Samsung Electronics, em 2011, para que ela pré-instalasse o software Dropbox nos seus smartphones high-end, equipados com sistema operacional Android, do Google.

Embora o acordo tenha resultado num elevado custo financeiro para a empresa, pois ela ofereceu a milhões de novos usuários 50 gigabytes de armazenamento gratuito por até dois anos, isso ajudou a expandir Dropbox em duas áreas principais — a de dispositivos móveis e nos mercados internacionais.

O Dropbox tem atualmente mais de 200 milhões de usuários, dois terços dos quais são no exterior. "A Samsung tem nos introduzido em novos mercados", disse Jaswa.

Em outubro de 2011, o executivo liderou a captação de um financiamento de US$ 250 milhões, o que valorizou Dropbox em US$ 4 bilhões e trouxe uma série de novos fundos de capital de risco, incluindo o Index Ventures e o Benchmark, bem como players de Wall Street como o Goldman Sachs Group. Em 2012, a empresa registrou receita de US$ 116 milhões, mais que o dobro dos US$ 46 milhões obtidos em 2011. No ano anterior, Jaswa quase quadruplicou as vendas de US$ 12 milhões.

Como Dropbox tem elevado seu valor de mercado, Jaswa tem procurado reduzir o potencial de mercado para suas ações pré-IPO e manter os funcionários focados no dia-a-dia. "Quando você pergunta às pessoas o que é a pior coisa de ser uma empresa de capital aberto, o que elas dizem é que o moral da equipe é ditado pelo preço das ações", disse Jaswa, que já trabalhou como consultor da McKinsey e na área de desenvolvimento corporativo da Cisco Systems.

Deixe seu comentário