Pesquisa diz que 4 entre 5 empresas escolhem banco pela reputação em segurança

0
41

De acordo com uma pesquisa da Kaspersky Lab, quatro em cada cinco empresas brasileiras (82%) preferem fazer negócios com bancos que contam com uma ótima reputação em relação à segurança. Os bancos que adotam a segurança como prioridade e se empenham ao máximo para garantir meios de se proteger contra fraudes financeiras online estão em vantagem, tanto para a manutenção dos clientes quanto para conquistá-la de novos.

A pesquisa constatou ainda que 98% das empresas no Brasil utilizam o Internet Banking em suas atividades diárias. A capacidade de usar serviços bancários sem precisar ir à agência oferece muitas vantagens, como tempo de resposta mais rápido e redução dos custos operacionais. No entanto, esta conveniência também tem o lado negativo, pois incorpora o risco de fraudes financeiras online e dá aos cibercriminosos uma forma de comprometer a infraestrutura corporativa de TI.

Considerando a proteção de informações dos clientes, a segurança desempenha um papel fundamental na escolha do banco. Oito em cada dez (82%) corporações pesquisadas no Brasil disseram escolher seu banco por causa de sua reputação de segurança e 84% estão dispostas a pagar a mais para trabalhar com um banco que tenha uma política de segurança forte e um bom histórico nesta área. Metade das organizações também declarou que precisa melhorar suas práticas para proteger as transações financeiras realizadas no Internet Banking.

"No ambiente tecnológico de nossos dias, as operações dos bancos são muito semelhantes às das empresas de TI. Todas as interações com clientes e parceiros são informatizadas, e informações são compartilhadas e armazenadas online. Porém, apesar de todas as vantagens, isso torna os processos bancários vulneráveis, e qualquer comprometimento da infraestrutura de TI pode resultar em enorme perda de dados ou, pior ainda, graves prejuízos financeiros e de reputação. Dessa forma, é fundamental que os bancos também se comportem mais como se fossem empresas de TI e, ao desenvolver e fornecer seus serviços, priorizem a segurança", afirma Ross Hogan, chefe global da divisão de prevenção de fraudes da Kaspersky Lab.

Deixe seu comentário