Uso de tablets no local de trabalho é mais comum entre funcionários com cargo de chefia

0
11

Uma pesquisa realizada pela Forrester Research revela que funcionários de nível de diretoria e superior são quatro vezes mais propensos a usar tablet no trabalho do que os empregados que não ocupam cargos de chefia. Segundo o levantamento, o alto escalão das empresas é duas vezes mais propenso a usar um tablet do que até mesmo um gerente ou supervisor.

A Forrester perguntou a 3.519 pessoas, incluindo trabalhadores sem posição hierárquica, gerentes, supervisores, diretores e acima, se eles usavam tablet no trabalho semanalmente. Apenas 10% dos empregados comuns responderam afirmativamente. Entre os gerentes e supervisores, 24% disseram usar o dispositivo semanalmente, enquanto quase metade dos funcionários de nível de diretoria e superior (43%) declarou usar tablet no trabalho.

O que explica essa disparidade? De acordo com o relatório da Forrester, tablets ainda são usados no trabalho principalmente como dispositivo para simples visualização — dependendo do local de trabalho, é claro. "Quando chega a hora de começar algum trabalho real, o teclado ainda é importante."

Apesar disso, o mercado corporativo é sedutor para os fabricantes de tablets. A pesquisa da Forrester, realizada em 2013, também prevê que um em cada cinco tablets será um dispositivo corporativo até 2017.

Não é por outro motivo que fabricantes como Samsung, HP e, claro, a Microsoft introduziram no mercado tablets destinados ao ambiente de trabalho — há até mesmo rumores segundo os quais a BlackBerry estaria desenvolvendo um tablet com teclado qwerty completo.

Mas será que esses tablets se tornarão populares entre empregados comuns, gerentes e supervisores, questiona o relatório. A Forrester diz que isso é difícil dizer, mas de uma coisa tem certeza: as estatísticas sugerem que a difusão desses dispositivos no ambiente corporativo está estritamente relacionada à produtividade do que a status.

Deixe seu comentário