Dois em cada três usuários do WhatsApp gostariam de efetuar pagamentos pelo app

0
45

De acordo com a pesquisa Panorama de Mensageria, de Agosto 2020, realizada pelo Mobile Time e pela Opinion Box, dois em cada três usuários do WhatsApp gostariam de efetuar pagamentos pelo app. Em junho, o WhatsApp anunciou que lançaria o seu serviço de pagamentos – em parceria com Cielo, Visa, Mastercard, Banco do Brasil, Nubank e Sicredi. No entanto, a iniciativa foi suspensa temporariamente por ordem do Banco Central.

A pesquisa também registrou aumento no envio de mensagens de voz e vídeos no WhatsApp, que está presente em 99% dos smartphones brasileiros. O índice de vídeochamadas aumentou de 55% para 63%, com 29% desses usuários realizando chamadas desse tipo pelo WhatsApp todos os dias.

A proporção de usuários ativos mensais que trocam vídeos pelo WhatsApp subiu de 67% para 76%. Além disso, o número de usuários que realizam ligações pelo aplicativo passou de 67% para 70%, com 42% realizando chamadas todos – ou quase todos – os dias.

Em termos de relacionamento com empresas, 78% dos usuários do WhatsApp no Brasil afirmam que se relacionam com marcas e empresas por meio do mensageiro. Em seis meses, subiu de 54% para 60% a proporção de usuários que apoiam a ideia de realizar compras pelo app.

Por outro lado, há uma preocupação com a propagação de fake news. A maioria dos usuários brasileiros do WhatsApp (88%) afirmam que já receberam notícias falsas no aplicativo. Um em cada três usuários admite ter compartilhado notícias sem checar sua veracidade.

Outros mensageiros

O Instagram, pela primeira vez nessa pesquisa, superou o Facebook Messenger, e está presente em 81% dos smartphones brasileiros, alcançando o posto de terceiro app mais popular no País, atrás apenas do Facebook (empatado tecnicamente dentro da margem de erro) e do WhatsApp. O Instagram também está na frente do Messenger e do Telegram no uso corporativo: 72% dos usuários do aplicativo.

Por sua vez, o Facebook Messenger permaneceu estagnado e presente em 79% dos smartphones. Sua frequência de uso tampouco se alterou em seis meses, com 59% dos usuários acessando o app todos ou quase todos os dias. Já o Telegram continua crescendo, marcando presença em 35% dos celulares brasileiros – 14% a mais do que no ano passado.

O SMS continua em baixa nos envios, mas em alta em termos de recebimento no setor A2P. Resta saber qual será o impacto do RCS, recém-chegado no mercado de mensageria brasileiro, o qual é uma versão mais atualizada do serviço de mensagens SMS e seu grande diferencial está na experiência do usuário, com a possibilidade do envio de mensagens instantâneas, vídeos, imagens e áudios, experiência muito similar à de aplicativos de mensagens. O RCS pode ser usado pela maioria dos smartphones no País (que rodam Android) e possui alguns recursos que o diferenciam do WhatsApp. De qualquer forma, a hegemonia do WhatsApp continua – pelo menos até o momento.

Deixe seu comentário