Think IT investe R$25 milhões em operação de cibersegurança

1
12

Uma pesquisa da PwC Digital, mostra que 83% das pessoas no comando de empresas no Brasil pretendem aumentar investimentos em cibersegurança em 2022 – número acima da média mundial, com 69% dos empresários.

Na Think IT, a área de segurança hoje já representa 30% do faturamento, mas a expectativa é que em dois anos representem 50%. Esse ano já alcançou um crescimento de 200% e foram investidos R$25 milhões em treinamentos, capacitação, infraestrutura e tecnologia.

"Estamos empolgados com o atual cenário do mercado de segurança. A tendência é que em 2022 as empresas invistam ainda mais em cibersegurança. Por isso, esperamos crescer ao menos 30% ao ano até 2025", comenta Marco Lorena, CEO da Think IT.

Estratégia de fusão e aquisição da Think IT 

Crescer por meio de M&A é uma das estratégias da Think IT. A companhia já adquiriu uma carteira de clientes de cloud services esse ano e, além disso, está em processo de Due Diligence com quatro empresas do setor de cloud services e cybersecurity.

Até novembro deste ano, a empresa já cresceu 40% em relação ao ano de 2020. Hoje conta com 200 colaboradores e atende uma média de 100 clientes de diversos segmentos no território nacional, entre eles: Bauducco, Petz, Toyota, Claro, Wickbold, Multilaser, e, na região Sul, Unimed POA, Stemac, Conta Azul, Agribank, Portocred, Zenvia entre outras grandes empresas que juntas movimentam mais de R$200 bilhões por ano.

"Este ano nós ampliamos nossa operação de São Paulo para suportar todo crescimento que estamos tendo, além do esperado para 2022", diz Lorena. "Também intensificamos a operação na região Sul, onde fizemos um investimento de R$5 milhões, aumentamos o SOC (Security Operation Center) para atender a alta demanda da região", conclui.

1 COMENTÁRIO

Deixe seu comentário