Grupo +Unidos, Qualcomm Foundation e Gerdau colaboram com Governo de São Paulo para fortalecer ensino de tecnologia em escolas públicas

0
12

O Grupo + Unidos, a Qualcomm Foundation e a Gerdau anunciam colaboração com a Secretaria de Educação do Governo do Estado de São Paulo para o lançamento do componente de Tecnologia e Inovação do Programa Inova Educação. A iniciativa prevê que 2 milhões de alunos em 3,8 mil escolas da rede pública estadual tenham aulas semanais de tecnologia. O componente conta com três eixos: Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação, Letramento Digital e Pensamento Computacional, que abarcará questões de dados, segurança da Internet, Fake News, cidadania digital, programação e robótica.

Em 2018, o Grupo +Unidos trabalhou com a Secretaria de Educação do Estado de São Paulopara realizar um piloto de ensino de programação e robótica em 10 escolas, tendo beneficiado mais de 500 alunos por meio do projeto Robolab. Os aprendizados obtidos demonstraram o impacto positivo do ensino de robótica e no interesse dos alunos pela escola (aumento de 26% para 79%) e por matérias relacionadas a matemática e ciências (crescimento de 2% para 63%).

O Inova Educação abrange toda a rede Estadual do 6º ano do Ensino Fundamental II ao 3º ano do Ensino Médio. Ao todo, 100 mil professores realizaram o curso de formação inicial e eles poderão se candidatar para ministrar as aulas de tecnologia e inovação. A Secretaria de Educação do Estado investirá recursos para a compra de equipamentos e adequação da infraestrutura das escolas.

Componente de Tecnologia – Inova Educação

No Inova Educação, cada escola receberá investimentos de acordo com seu nível de maturidade, podendo receber novos equipamentos dependendo de sua evolução ao longo programa. Para efeito de mensuração, serão utilizados os seguintes critérios: aplicação da tecnologia relacionada à Proposta Pedagógica da escola, envolvendo os critérios dimensão, formação, infraestrutura e recursos digitais em que serão ouvidos os três grupos: gestão, professores e alunos.

Os alunos poderão se beneficiar das descobertas que a tecnologia permite, qualquer que seja a quantidade de computadores, qualidade da conexão à internet ou nível de familiaridade dos professores com as tecnologias digitais. O objetivo é usar a tecnologia como ferramenta para comunicação, criação de projetos e soluções.

Para este projeto, foi criado um Grupo de Trabalho voltado exclusivamente para a construção de um modelo pedagógico. Esse grupo é composto por professores, coordenadores, técnicos, consultores externos, especialistas em linguística e em desenvolvimento pedagógico

No total, 100 mil professores de toda rede pública do Estado de São Paulo se inscreveram no primeiro módulo de treinamento à distância. Mais de 3800 escolas de todo o Estado receberão investimentos em infraestrutura. A nova edição do projeto visa contemplar 2 milhões de estudantes do Fundamental II e Ensino Médio.

No que se refere à linha pedagógica, o foco passa a ser o desenvolvimento pleno do estudante, unindo habilidades cognitivas com habilidades socioemocionais, em que entram conteúdos sobre mídias digitais e cidadania digital nas aulas.

Resultados do projeto Robolab

O projeto piloto, inaugurado em abril de 2018, fez sucesso entre os estudantes e superou as expectativas dos professores e idealizadores. De acordo com uma pesquisa feita com as escolas participantes, ajudou a aumentar o interesse dos estudantes por matemática e ciências, de 2% para 63%, assim como o interesse em tecnologia em geral, de 53% para 84%.

O engajamento dos estudantes com a escola também cresceu de 26% para 79%, de acordo com os professores consultados. O levantamento mostra ainda que 93% dos estudantes que tiveram experiência com pensamento computacional e robótica disseram que pretendem aplicar a maior parte do conhecimento adquirido em sala de aula.

Deixe seu comentário