FinTech: soluções que podem reinventar o sistema financeiro

0
9

Talvez você nunca tenha ouvido falar na expressão FinTech, mas com certeza já deve ter usado um serviço oferecido por este tipo de empresa. Do inglês financial technology, ou tecnologia de finanças, em uma tradução livre, FinTech é o termo usado para designar as startups que trabalham para facilitar a vida financeira do usuário, indo de meios de pagamento online a aplicativos de gestão financeira pessoal e empresarial, além de plataformas de crowdfunding, a famosa "vaquinha" para tirar algum projeto do papel.

Juntas, estas empresas podem redefinir todo o sistema financeiro que conhecemos. O banco norte-americano Goldman Sachs estima que startups de FinTech podem "roubar" US$ 4,7 trilhões do sistema financeiro já estabelecido e lucrar até US$ 470 bilhões no mundo todo. Uma pequena porcentagem, mínima que seja, dessa fatia já representa um grande valor. E por isso essas empresas inovadoras recebem atenção especial de investidores, que injetaram US$ 23,5 bilhões em empresas do ramo em todo o mundo.

Normalmente visto como um ambiente muito técnico e cheio de regulações dominado por bancos gigantes e outros grandes monopólios, o sistema bancário hoje parece passar por uma fase de descrença dos usuários, seja pelas altas taxas, pela falta de transparência ou por outros diversos motivos. Tudo isso abriu o caminho para iniciativas inovadoras que investem principalmente em custos mais baixos, melhor uso dos dados de que dispõem sobre o cliente e boa experiência do usuário.

Além da descrença no sistema bancário, outros fatores também facilitam a ascensão das empresas de FinTech. Hoje o mundo é muito mais conectado do que na década passada. Computadores, tablets e celulares são muito mais acessíveis e a internet está por toda parte. As pessoas agora se sentem muito mais confortáveis e seguras ao fazer a gestão do seu dinheiro e dos seus negócios online.

As opções são variadas, e somente no Brasil temos mais de 50 startups oferecendo serviços em gestão financeira e contábil, meios de pagamento, seguros, crowdfunding e cartão de crédito, entre outros. Não deve demorar o dia em que as pessoas recorrerão primeiro aos serviços da Intoo em vez de ir ao banco em busca de crédito para o seu negócio, utilizarão o Conta Azul para gerir o caixa e o Asaas para realizar suas cobranças. Em vez de solicitar um cartão de crédito ao banco, o usuário recorrerá ao Nubank e contratará um seguro através do Bidu. Para realizar aquele grande projeto pessoal, iniciará um projeto no Catarse. Assim como, em poucos anos, nos adaptamos a novos hábitos no consumo de livros, filmes e música, por exemplo, a próxima onda é repensarmos nossa relação com as instituições financeiras.

Piero Contezini, CEO do Asaas.

Deixe seu comentário