CEOs apontam parcerias estratégicas e big data como chaves para o crescimento sustentável

0
0

A digitalização dos produtos, serviços e soluções está provocando transformações, rupturas e até mesmo colapso de diversas indústrias e "ecossistemas" de negócios. Com a rápida evolução das mudanças tecnológicas, os modelos de negócio tradicionais baseados em produtos vêm sendo superados por uma estratégia mais ágil e baseada em serviços. Como as empresas estão reagindo a estas mudanças? Quais estratégias irão garantir o crescimento sustentável e de longo prazo?

Mais de 300 CEOs e líderes das Américas, Ásia, Europa e África participaram da pesquisa anual da Frost & Sullivan CEOs Perspectives on Growth, Innovation and Leadership.

"Com a digitalização provocando uma transformação nos sistemas econômicos globais e uma mudança de foco de produtos para serviços, surgem novas oportunidades de crescimento e inovação. No entanto, para aproveitar essas oportunidades é necessário ter um líder visionário que consiga realizar essa convergência de visão e estratégia de crescimento", afirma o presidente da Frost & Sullivan, David Frigstad.

Empresas que ignorarem essas mudanças disruptivas, que não focarem em inovação e crescimento e não incorporarem novos modelos e negócios alinhados às necessidades de seus clientes serão cada vez mais marginalizadas. As empresas já estão encontrando dificuldades, tanto por fatores externos quanto internos, como demonstram os resultados da pesquisa:

– 53% dos CEOs citam o ambiente competitivo cada vez mais intenso como a principal ameaça externa ao seu crescimento. No entanto, a maioria das empresas não consegue envolver suas equipes de inteligência competitiva e de estratégia corporativa de forma adequada na atenuação dessa ameaça

– A transformação digital é reconhecida pelos executivos como o principal catalisador de crescimento e inovação para os próximos cinco anos, embora quase 34% dos CEOs afirmam que a velocidade das mudanças tecnológicas representa um desafio real e imediato.

– Estratégias de tecnologia, bem como parcerias estratégicas, são vistas como essenciais para garantir o crescimento nos próximos três anos. Mas mais de 50% dos CEOs admitem ter dificuldade em executar suas estratégias de tecnologia e propriedade intelectual ou parcerias estratégicas.

– A transição de produtos para serviços, a personalização e customização e o conceito de "value for many" (em oposição ao "value for money") foram apontados como os três modelos de negócios mais importantes. No entanto, mais de 50% dos CEOs afirmam que não conseguiram integrar esses novos modelos de negócios às suas empresas.

"A transformação digital, incluindo a análise de dados, convergência e conectividade, e consumidores digitais, estão forçando os CEOs a desenvolverem ferramentas e estratégias inovadoras para atingir as expectativas dos investidores", afirma Sandeep Kar, head global de Transformação de Conteúdo da Frost & Sullivan. "Portanto, a principal lição que podemos tirar deste estudo é que as empresas devem começar logo a implementação dessas estratégias, e de forma consistente."

Apple, Google, Amazon, Tesla e GE foram citadas pelos entrevistados como as empresas mais disruptivas. "Seus históricos únicos são prova de como é possível gerar ganhos sem precedentes ao transformar um cenário de ruptura em oportunidade para crescimento e ao focar em inovação e liderança visionária", conclui Kar.

Deixe seu comentário