Publicidade

    Febratel aponta risco de aumento de tributos e demissões com nova regra do PIS/Cofins

    1
    Publicidade

    As empresas de telecomunicações se uniram a outras empresas do setor de serviço para protestar e pedir a revisão da proposta que muda as regras de cálculo do PIS/Cofins e pode gerar aumento da carga tributária. A manifestação pública foi feita pela Febratel, que nesta terça, 6, participa de seminário na Comissão de Desenvolvimento Econômico da Câmara dos Depuados para tratar do tema. Segundo a Febratel, federação que congrega as empresas de telecomunicações, “a base da proposta, de conhecimento público, pretende tornar obrigatório para empresas com faturamento acima de R$3,6 milhões o regime ‘não cumulativo’. Seria aplicada uma alíquota de 9,25%, decorrente da unificação das duas contribuições, e realizado o abatimento de eventuais créditos de PIS/COFINS”. Para a Febratel, esta mudança, além de ampliar a burocracia para apuração desses impostos, “elevaria absurdamente a carga tributária sobre setores e empresas que recolhem pelo regime ‘cumulativo’, pagando uma alíquota fixa de 3,65% do faturamento”. A nova metodologia é especialmente onerosa para setores que empregam uma grande quantidade de funcionários, diz a Febratel, e isso inclui o setor de telecom, call center entre outros. A entidade aponta ainda o risco de demissões pelos setores afetados e o impacto nas contas de Estados e Municípios, pelo aumento do custo de contratação e ampliação do desemprego. “É necessário que o Governo sinalize com urgência a retirada dessa proposta do cenário, afastando essa ameaça que gera grande insegurança para os negócios e os planos de investimentos privados, com prejuízos sobre a retomada do emprego”.

    1 COMENTÁRIO

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

    Sair da versão mobile