Ações da GoPro desabam 14% com projeção de lucro abaixo das estimativas

0
3

Embora a fabricante de câmeras digitais GoPro tenha encerrado o quarto trimestre e o ano de 2014 com expressivo crescimento no lucro e receita, o anúncio da saída da diretor de operações (COO) Nina Richardson, que deixa a empresa no fim deste mês, depois de dois anos no cargo, bem como a projeção da companhia para o primeiro trimestre não agradaram os investidores.

No pre-market, negociação que ocorre antes da abertura da bolsa, os papéis da companhia já operavam em queda de 14%. Na abertura do pregão, contudo, o recuo diminuiu um pouco, para 11,7%, com as ações negociadas a US$ 48. Durante a tarde, o mal desempenho da GoPro na Nasdaq perdurou e as ações continuaram negociadas em queda, que variou de 8% a 11%.

Ao divulgar o balanço financeiro referente ao quarto trimestre e a 2014, a companhia também anunciou sua projeção de lucro por ação entre US$ 0,15 e US$ 0,17 para o primeiro trimestre, a qual ficou abaixo das expectativas dos analistas consultados pela Thomson Reuters, que esperavam lucro de US$ 0,17 por ação.

Resultados

A fabricante de câmeras digitais encerrou o quarto trimestre do ano passado com lucro líquido 180% maior, saltando de US$ 43,7 milhões, no mesmo período de 2013, para US$ 122,2 milhões. A receita também teve expressiva alta, de 75%, de US$ 361,5 milhões para US$ 634 milhões na mesma comparação.

Considerando todo o ano de 2014, a companhia reportou lucro líquido de US$ 128 milhões, alta de 111% em relação aos US$ 60,5 milhões de 2013. Já a receita somou US$ 1,4 bilhão, crescimento de 41% ante US$ 985,7 milhões. Durante o período, a GoPro vendeu 5,2 milhões de câmeras digitais, um aumento de 35% comparado a 2013.

Deixe seu comentário