Atlas Governance atinge 100 clientes e prevê receitas de R$ 10 milhões em 2020

0
31

A Atlas Governance, plataforma de governança corporativa, contabiliza, em apenas dois anos, cerca de 100 clientes, mais de 3.200 usuários e receita anual recorrente de R$ 3,5 milhões. A expectativa é conquistar 300 novos clientes em 2020, chegando a uma receita anual recorrente R$ 13,5 milhões.

Focada na transformação digital de conselhos e comitês, a Atlas tem em seu portfólio organizações de capital aberto, fechado, familiares e públicas, além de entidades sem fins lucrativos e cooperativas, que necessitam de transparência e entendem a necessidade de ter um portal de governança. Entre os principais clientes, estão nomes como CVC Turismo, Shopping Iguatemi, Direcional Engenharia, Cyrela, CCR Rodovias, Usina Hidrelétrica de Belo Monte, Randon, SABESP, Gasoduto Brasil-Bolívia, Banco Carrefour, Hospital Beneficência Portuguesa e Riachuelo.

"Em um ano, saímos de 14 contratos para mais de 90, e de 350 usuários para mais de 3.200", destaca Eduardo Carone, CEO e fundador da Atlas. Os bons números são resultado da tecnologia por trás da plataforma, que aposta na segurança, simplicidade do uso, visual moderno e proximidade do usuário.

Segundo Carone, a presença de players internacionais contribuiu, inclusive, para a conquista de novos clientes, por se diferenciar em termos de tecnologia, presença local e atendimento em vários meios, como telefone, WhatsApp e chat, por exemplo. "Hoje governança é uma demanda de mercado, independente do formato da organização, e tornar a governança segura e digital deixou de ser uma opção". Mas a simplicidade de uso se torna fundamental, uma vez que parte do público de conselheiros e membros de comitês conduziu historicamente sua governança sem uso de tecnologia. "Se não for simples, não funciona. Um conselheiro precisa conseguir obter todos os materiais de sua reunião apertando um único botão", acrescenta o CEO.

De olho na melhoria da plataforma, ao longo do próximo ano serão investidos cerca de R$ 2 milhões em desenvolvimento, com foco em novas funcionalidades de segurança e desenvolvimento de novos recursos – incluindo Inteligência Artificial -, além de se adequar à Lei Geral de Proteção de Dados.

Como parte do crescimento e expansão da empresa, a partir do segundo semestre a Atlas deve iniciar o processo de internacionalização. A expectativa é estar presente na Argentina, Chile, Colômbia e México, com atendimento local em cada um desses países. "Com isso, teremos capacidade de triplicar o tamanho da empresa", finaliza Carone.

Deixe seu comentário