Ações do Twitter desabam 18% com fim do bloqueio de negociação para investidores

0
3

As ações do Twitter abriram os pregões da Nasdaq e da Bolsa de Nova York, nesta terça-feira, 6, com forte queda, marcando o fim do período de bloqueio que impedia os chamados investidores iniciais e os primeiros funcionários de trocar ou vender seus papéis, cujo estoque soma US$ 20 bilhões.

Nos primeiros minutos após a abertura da Bolsa de Nova York, as ações da empresa caíram em quase 10%, para menos de US$ 35. No pré-market (antes da abertura) da bolsa de tecnologia a queda chegou a quase 8%, com os papéis valendo US$ 35,68, e na abertura do pregão recuaram mais um pouco, negociados a US$ 35,60.

No entanto, às 12h32 (horário de Brasília) as ações do Twitter já estavam sendo negociadas a US$ 34,26, queda de 11,59% em relação à abertura da Nasdaq e quase a metade do preço atingido no Natal do ano passado, quando valia US$ 75, e abaixo do preço de fechamento do primeiro dia da flutuação, há seis meses. No fechamento do pregão desta terça, os papéis se desvalorizaram ainda mais, recuando 17,81%, cotados a US$ 31,85.

Embora os detentores de títulos da rede de microblogs — que representam uma grande proporção das novas ações negociáveis — tenham prometido segurá-los, o fim do termo de bloqueio aos investidores iniciais e aos primeiros funcionários deve colocar ainda mais pressão sobre o preço dos papéis da empresa, já abalado por temores do mercado com o estouro de uma nova bolha de empresas de tecnologia.

"Isto está claramente relacionado com o fim do bloqueio", observou o analista Brian Wieser, do Pivotal Research Group, ao The Guardian. "Nem todos os investidores deverão se abster de vender, muitos dos quais incluem funcionários da empresa, que podem muito bem querer tirar dinheiro da mesa. Mesmo que eles não vendam, o medo dos demais investidores fará com que o movimento de 'descarte' dos papéis continue."

Nesta terça-feira foram completados 181 dias da oferta pública inicial de ações (IPO) do Twitter, ocorrida em 7 de novembro do ano passado, quando mais de 560 milhões de ações foram colocadas à venda. Os investidores temem que os funcionários do Twitter e os primeiros investidores possam inundar o mercado com ações e derrubar o preço do papel.

Wieser estima que existam hoje 646 milhões de ações do Twitter em circulação, incluindo o volume vendido no IPO. Em fevereiro deste ano, a empresa colocou cerca de 10 milhões de ações à venda, pois precisava de dinheiro para cobrir as contas fiscais.

Notícia atualizada às 17h36.

Deixe seu comentário