Perdas por fraudes impactaram 75% das empresas nos últimos três anos

1

A Kroll, fornecedora de soluções de gestão de riscos e governança, divulgou os resultados de seu último Relatório Global de Fraude e Risco. Os dados mostram que 75% das empresas brasileiras foram impactadas por fraudes nos últimos três anos. Isso ocorre mesmo com a maioria dos entrevistados (83%) usando a análise de dados para detectar proativamente casos de fraude interna.

O relatório também aborda a questão dos controles internos para evitar corrupção. O índice é favorável, com 78% dos entrevistados dizendo que os controles antissuborno e de corrupção de suas organizações são eficazes para prevenir e detectar atividades de alto risco – acima da média global (74%).

Em resposta aos altos índices relatados de condutas ilícitas, três quartos (75%) das organizações pesquisadas no Brasil declararam ter realizado investigações internas nos últimos três anos, ligeiramente abaixo da média global de 78%.

O estudo foi realizado com 1.130 tomadores de decisões sêniores sobre estratégia de risco, entre eles CEOs e diretores das áreas jurídica, de Compliance e financeira.

De acordo com a maioria dos entrevistados (82% globalmente), suas empresas foram significativamente afetadas por fraudes, corrupção, atividades ilícitas, lavagem de dinheiro e outras ocorrências graves de conduta indevida.

Confira abaixo os setores mais afetados por fraudes, corrupção e atividades ilícitas

Setor Significativamente afetado por conduta indevida grave Realização de investigação interna nos últimos três anos
1. Transportes, lazer e turismo 90% 65%
2. Bancos 89% 84%
3. Tecnologia, meios de comunicação e telecomunicações 88% 82%
4. Ciências da vida 83% 83%
5. Comércio varejista, atacadista e distribuidores 81% 69%

 

Curiosamente, enquanto a maioria (90%) dos entrevistados no setor de transporte, lazer e turismo relatou que sua organização tinha sido significativamente afetada por má conduta grave, apenas 65% das organizações deste setor tinham conduzido uma investigação interna nos últimos três anos.

Os setores mais suscetíveis à realização de investigações internas estão indicados na tabela a seguir:

Setor Realização de investigação interna nos últimos três anos Significativamente afetado por conduta indevida grave
1. Bancos 84% 89%
2. Ciências da vida 83% 83%
3. Tecnologia, meios de comunicação e telecomunicações 82% 88%
4. Indústria 82% 78%
5. Bens de consumo 74% 74%

 

Quase todas as empresas (98%) que realizaram investigação interna contaram com a ajuda de empresas externas, sendo que os consultores mais solicitados pertenciam à área de computação forense/eDiscovery (55%), seguidos por empresas de investigação (47%). "Esse movimento pode ser explicado pela necessidade de se estruturar um time multidisciplinar, com expertise em tecnologia forense e conhecimentos especializados, especialmente para as fraudes mais complexas", afirma Enéas Moreira, head da área de Investigações e Inteligência Forense da Kroll no Brasil.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui