Relatório mostra um aumento de 27% no risco de usuários de PC enfrentarem ameaças cibernéticas

0
0

A Avast revela que a chance geral de usuários domésticos encontrarem uma ameaça cibernética aumentou em todo o mundo. De acordo com o Relatório Global de Risco para PC 2020 da Avast, os usuários domésticos têm 25,6% de chances de encontrar qualquer tipo de malware para PC, resultado acima dos 20,1% do ano anterior.

Os usuários domésticos têm uma chance de 6,7% de serem alvo de uma ameaça "avançada", um aumento de 20% comparado com o ano anterior, quando a taxa de risco era de 5,6%. A Avast define ameaças avançadas como novas ameaças ainda não vistas, projetadas para contornar as tecnologias de proteção comuns incluídas em software de segurança, como assinaturas, heurísticas, emuladores, filtragem de URL e verificação de e-mail.

No Brasil, a probabilidade de um usuário doméstico enfrentar qualquer tipo de ameaça aumentou 20% em um ano – de 19,54% para 23,44% de chances de encontrar uma ameaça. Os brasileiros têm 6,43% de probabilidade de enfrentar uma ameaça avançada – neste caso, houve uma queda de 11% em relação ao ano anterior, quando a taxa de risco era de 7,26%.

"Nossos relatórios de 2020 mostram que a taxa de risco aumentou em todo o mundo, para todas as ameaças. O número de dispositivos conectados continua aumentando drasticamente e este relatório ilustra como os computadores permanecem vulneráveis, pois formam uma parte importante da cadeia de ataques", afirma Luis Corrons, Evangelista de Segurança da Avast. "Os cibercriminosos criam ameaças se aproveitando das atividades realizadas por usuários domésticos e exploram sua potencial falta de conscientização e cautela com relação à segurança cibernética, tornando vital para todos a instalação de uma solução de segurança confiável em todos os dispositivos possíveis".

Os 10 principais países onde os usuários domésticos correm maior risco de encontrar qualquer tipo de ameaça, mudaram ligeiramente de 2018 para 2019 com Venezuela, Argélia, Santa Lúcia, Iêmen e Angola substituindo Etiópia, Egito, Vietnã, Laos e Mianmar.

Os 10 principais países onde os usuários domésticos correm maior risco de encontrar qualquer tipo de ameaça, mudaram ligeiramente de 2018 para 2019 com Venezuela, Argélia, Santa Lúcia, Iêmen e Angola substituindo Etiópia, Egito, Vietnã, Laos e Mianmar.

10 principais países com maior risco: Usuário doméstico

1. Afeganistão (38,73%)

2. Irã (37,49%)

3. China (37,27%)

4. Etiópia (35,7%)

5. Palestina (34,66%)

6. Egito (34,41%)

7. Vietnã (33,37%)

8. Madagascar (32,73%)

9. Laos (32,44%)

10. Myanmar (32,17%)

10 principais países com maior risco: Usuário Corporativo

1. China (43,67%) (a partir de #3)

2. Afeganistão (43,30%) (abaixo de #1)

3. Venezuela (41,84%) (a partir de #11)

4. Irã (40,17%) (abaixo de #2)

5. Argélia (39,41%) (a partir de #13)

6. Palestina (39,33%) (abaixo de #5)

7. Madagascar (37,71%) (a partir de #8)

8. Santa Lúcia (37,39%) (a partir de #71)

9. Iêmen (37,35%) (a partir de #14)

10. Angola (36,75%) (a partir de #12)

Metodologia

Os dados incluídos neste relatório são coletados da rede de detecção de ameaças da Avast e representam as ameaças para usuários de PC que a Avast protegeu, entre 8 de setembro de 2019 e 7 de outubro de 2019. Para fornecer dados estatisticamente relevantes, este relatório inclui dados de países, territórios e regiões com um tamanho de amostra de pelo menos 10.000 computadores pertencentes a usuários domésticos, que encontraram ameaças durante o mês nos quais os dados foram coletados. Os dados são de análises de ameaças totais e ameaças avançadas, avaliando a taxa de risco para usuários domésticos em todo o mundo.

Para calcular as taxas de risco deste relatório, o número de computadores nos quais as camadas de proteção da Avast interromperam pelo menos uma ameaça foi dividido pelo número total de computadores, que a Avast protegeu ativamente no período de 30 dias.

Deixe seu comentário