Teradata e Tarea fecham parceria para atender novas demandas analíticas no setor público

0
57

A Teradata, fornecedora de soluções analíticas, firmou parceria com a Tarea, empresa de tecnologia sediada no Distrito Federal com filial no Rio de Janeiro, que fatura R$ 25 milhões ao ano com soluções de análise de dados, business intelligence e aplicações de big data. Segundo as empresas, a aliança visa atender a crescente demanda no setor público, que em pouco tempo passou a consumir uma quantidade muito grande de dados por conta do cruzamento de informações entre diferentes órgãos, ampliando sua base de análise de gigabytes para petabytes.

Segundo Rafael Vilela, diretor da Tarea, "o nível técnico dos clientes está evoluindo de uma maneira muito rápida. Quando realizamos o primeiro contato com um cliente, percebemos que mesmo sem as informações técnicas sobre um appliance de big data os administradores vislumbram resultados com o cruzamento de dados, sempre de olho na melhor aplicação dos recursos financeiros e em novos insights que otimizem a operação".

Para o diretor da Tarea, "essa nova prática de cruzamento de dados foi responsável por gerar uma grande quantidade de informação a serem analisadas, exigindo um bom 'motor' para tornar esse tipo de prática uma realidade". "Hoje órgãos e empresas públicas buscam aglutinar informações em busca de inteligência de mercado, maior conhecimento e expansão do serviço público. Além dessas novas práticas que surgiram a partir do amadurecimento analítico de nossos governantes, outro fator de mercado que chama a atenção é a adoção de sistemas de análise e big data em cloud."

Para Vilela, este pode ser um caminho para democratizar o acesso a esse tipo de tecnologia, barateando o custo do investimento inicial e permitindo que órgãos municipais, muitas vezes pressionados por orçamentos mais restritos, possam aderir a onda da análise de dados também. O executivo afirma que os produtos Teradata estarão em 80% dos novos projetos da Tarea.

Segundo Carlos Bokor, diretor da area de governo da Teradata, "hoje a palavra de ordem no setor público é controle, e nada melhor do que a tecnologia de análise de dados e big data para solucionar problemas crônicos. Se antes os administradores públicos 'sentavam' em cima dos seus silos de dados, hoje os governantes mais atentos buscam o cruzamento dessas informações, sempre com o objetivo de gerar ganhos para o Estado como um todo".

Deixe seu comentário