Para acelerar portabilidade para multicloud, Fujitsu muda portfólio Primeflex VMware

0
25

A Fujitsu, fornecedora de soluções de TIC para ambientes híbridos de TI e multicloud, anunciou melhorias no portfólio Primeflex. São aprimoramentos para ambiente VMware que agora passa a prover suporte a contêineres 'lift and shift' e kubernetes, permitindo aos clientes desenvolver, executar e dimensionar aplicações em máquinas virtuais de infraestruturas existentes.

Com as novidades, as cargas de trabalho também podem ser migradas entre a nuvem e o data center. Com isso, as empresas poderão acelerar seu processo de transformação digital baseado em dados com uma abordagem dedicada do DevOps.

A Fujitsu acredita que contêineres e kubernetes são a base para aplicações nativas da nuvem e sustentam a maioria das aplicações modernas construídas para a era digital. Com o novo Primeflex e seu suporte para VMware vSphere7, a empresa permite que as organizações aproveitem estas tecnologias usando o VMware Tanzu. Dessa forma, as equipes de operações ganham um ambiente consolidado e totalmente híbrido para gerenciar aplicações atuais e tradicionais em paralelo.

A tecnologia atende a uma ampla gama de aplicações, incluindo infraestruturas virtuais de desktop (VDI), processamento de transações on-line (OLTP), cargas de trabalho analíticas e cargas de trabalho de banco de dados, como o SAP HANA. As organizações podem escolher entre três infraestruturas diferentes dentro do portfólio Primeflex, conseguindo assim construir a arquitetura certa para qualquer exigência de computação e armazenamento.

O Primeflex para VMware vSphere, para VMware vSAN e para VMware Cloud Foundation suportam VMware vSphere 7. Os clientes atuais podem simplesmente atualizar para a versão mais recente. O portfólio Primeflex está disponível diretamente da Fujitsu, bem como por meio de sua rede de parceiros. Os preços variam dependendo das especificações e ficam a partir de US$ 120 mil.

CONTEÚDO DISPONÍVEL – VMware anuncia execução de Kubernetes diretamente no vSphere e parceria com Nvidia para AI

Com as novidades, as cargas de trabalho também podem ser migradas entre a nuvem e o data center. Com isso, as empresas poderão acelerar seu processo de transformação digital baseado em dados com uma abordagem dedicada do DevOps.

A Fujitsu acredita que contêineres e kubernetes são a base para aplicações nativas da nuvem e sustentam a maioria das aplicações modernas construídas para a era digital. Com o novo Primeflex e seu suporte para VMware vSphere7, a empresa permite que as organizações aproveitem estas tecnologias usando o VMware Tanzu. Dessa forma, as equipes de operações ganham um ambiente consolidado e totalmente híbrido para gerenciar aplicações atuais e tradicionais em paralelo.

A tecnologia atende a uma ampla gama de aplicações, incluindo infraestruturas virtuais de desktop (VDI), processamento de transações on-line (OLTP), cargas de trabalho analíticas e cargas de trabalho de banco de dados, como o SAP HANA. As organizações podem escolher entre três infraestruturas diferentes dentro do portfólio Primeflex, conseguindo assim construir a arquitetura certa para qualquer exigência de computação e armazenamento.

O Primeflex para VMware vSphere, para VMware vSAN e para VMware Cloud Foundation suportam VMware vSphere 7. Os clientes atuais podem simplesmente atualizar para a versão mais recente. O portfólio Primeflex está disponível diretamente da Fujitsu, bem como por meio de sua rede de parceiros. Os preços variam dependendo das especificações e ficam a partir de US$ 120 mil.

Deixe seu comentário