Estudo: 6 em cada 10 internautas já recebeu uma fake news no WhatsApp

1
0

Em um momento em que médicos no mundo inteiro trabalham na linha de frente para combater o coronavírus, especialistas em desinformação da Avaaz alertam: as redes sociais precisam fazer a sua parte na luta contra o vírus da desinformação, e apresentar aos usuários correções para as notícias falsas que colocam a vida de milhões em risco. No Brasil, iniciativas como o PL 1429/2020, que institui a "Lei Brasileira de Liberdade, Responsabilidade e Transparência na Internet", indicam um importante passo para demandar que as redes sociais combatam as fakes news, apresentando informações corretas.

A pesquisa da Avaaz mostra que a maioria dos internautas brasileiros realmente quer receber correções para as fake news, como estabelece o PL:

80% disseram que gostariam de receber informações corrigidas por verificadores de fatos quando forem expostos a fake news – entre os que usam o Facebook como a principal fonte de informação sobre a pandemia, esse número chega a 83%.

Apesar de esforços recentes anunciados pelas redes sociais para combater a desinformação sobre o coronavírus, a pesquisa mostra que 57% dos internautas brasileiros não viu nenhuma correção ou mensagem de alerta sobre conteúdo falso ou enganoso no Facebook. Apenas 34% dos entrevistados afirmou ter visto tais correções.

Os entrevistados pela pesquisa da Avaaz receberam nove afirmações sobre a COVID-19, sete delas eram afirmações já classificadas como falsas ou enganosas por checadores de fatos independentes. Essas afirmações foram construídas com base em fake news populares que os investigadores da Avaaz encontraram circulando nas redes sociais.

Os resultados mostram que o alcance das informações falsas sobre o coronavírus no Brasil é enorme:

Nove em cada 10 internautas brasileiros viram pelo menos uma fake news sobre o coronavírus, o que equivale a 141 milhões de pessoas. 8 em 10 viram 2 ou mais fake news sobre o coronavírus 6 em 10 viram 3 ou mais fake news sobre o coronavírus 6% viu todas as 7 fake news sobre o coronavírus (equivale a 9 milhões de pessoas).

O número de pessoas que acreditaram nas fake news que receberam também é alarmante: 110 milhões ou 7 em cada 10 internautas brasileiros acreditaram em pelo menos uma notícia falsa sobre a COVID-19. Das sete afirmações falsas apresentadas aos entrevistados, as três mais acreditadas foram:

O novo coronavírus foi criado em um laboratório secreto na China: 38% disse ser verdadeira ou provavelmente verdadeira. Tomar grandes doses de vitamina C pode retardar ou até impedir a infecção do novo coronavírus: 36% disse ser verdadeira ou provavelmente verdadeira.

Especialistas em saúde recomendam beber água regularmente pois isso levará o novo coronavírus para seu estômago, onde a acidez irá matá-lo: 30% disse ser verdadeira ou provavelmente verdadeira. A pesquisa também foi conduzida nos Estados Unidos e na Itália, que estão entre as regiões mais atingidas pela pandemia da COVID-19. Na comparação entre os três países, os usuários de internet brasileiros acreditam mais nas informações falsas que os italianos e norte-americanos:

73% dos brasileiros entrevistados acreditaram em pelo menos uma fake news, seguidos por 65% dos norte-americanos e 59% dos italianos; 46% dos brasileiros entrevistados acreditam que amigos e familiares foram vítimas de fake news, seguidos por 41% dos italianos e 26% dos norte-americanos.

As afirmações falsas selecionadas foram as seguintes:

O novo coronavírus foi criado em um laboratório secreto na China Tomar grandes doses de vitamina C pode retardar ou até impedir a infecção do novo coronavírus Em apenas um dia, centenas de crianças morreram vítimas do novo coronavírus na Itália Prender a respiração por 10 segundos todas as manhãs ajuda a identificar se você está infectado com o Covid-19 Especialistas em saúde recomendam beber água regularmente pois isso levará o novo coronavírus para seu estômago, onde a acidez irá matá-lo O novo coronavírus é como qualquer gripe, tem os mesmos sintomas e uma taxa de mortalidade igual ou inferior à gripe comum A inalação de ar ou vapor quente pode matar o novo coronavirus

As afirmações verdadeiras selecionadas foram as seguintes:distanciamento social é uma medida eficiente para prevenir a disseminação do novo coronavírus; lavar as mãos com sabão regularmente e meticulosamente mata o novo coronavirus.

1 COMENTÁRIO

Deixe seu comentário