XP Inc. compra a fintech Fliper de olho no open banking brasileiro

0
0

A XP anuncia a aquisição de participação majoritária na fintech Fliper, plataforma de consolidação automatizada de investimentos, que oferece conectividade e ferramentas de autogestão financeira intuitiva e inteligente.

A aquisição faz parte da estratégia de crescimento da XP. A Fliper e os seus fundadores (Felipe Bonani, Renan Georges e Walter Poladian) permanecem com uma participação na empresa e 100% de independência na gestão do negócio, contando com a estrutura da XP Inc. em áreas como segurança, tecnologia, backoffice e marketing para alcançar um crescimento ainda mais seguro e relevante do negócio.

Fundada em 2017, a Fliper nasceu com o propósito de transformar a relação das pessoas com suas finanças, oferecendo no aplicativo uma visão única dos seus investimentos em diversas instituições financeiras, permitindo a consolidação automática, comparação da performance da carteira, acompanhamento da evolução do patrimônio, entre outras funcionalidades.

E, mediante autorização do usuário, é possível visualizar, ao mesmo tempo, as aplicações em diversos bancos e corretoras do país, incluindo XP Investimentos, Rico e Clear. A fintech já mapeia mais de R$ 7 bilhões em investimentos em sua plataforma e enxerga um grande potencial para superar a marca de 5 milhões de usuários, nos próximos anos.

"A Fliper vai nos aproximar ainda mais de nossos atuais clientes e ampliar o escopo de atuação da XP Inc. A intenção é que os usuários possam consolidar os investimentos detidos entre as nossas diferentes marcas e também em outras instituições financeiras. Temos convicção que ao oferecer uma total transparência e facilidade para a comparação dos produtos oferecidos, ficará mais evidente as vantagens de ser nosso cliente", diz Gabriel Leal, sócio e diretor comercial da XP Inc. "Tanto a XP quanto a Fliper trazem em seu DNA o foco em inovação e disrupção. Dessa forma, enxergamos um alto potencial de geração de valor a longo prazo, complementando cada vez mais o nosso ecossistema de investimentos", completa Bruno Constantino, sócio e diretor financeiro da XP Inc.

O fechamento da operação está sujeito à autorização prévia do Banco Central do Brasil, nos termos da regulamentação aplicável.

Deixe seu comentário