Bolsa de Nova York nega que interrupção do pregão tenha sido por causa de ataque cibernético

0
4

A paralisação das negociações na Bolsa de Nova York (NYSE) nesta quarta-feira, 8, por quase três horas, ocorreu por causa de "problemas técnicos internos" que já foram solucionados, informou a instituição por meio de sua conta oficial no Twitter.

A NYSE se apressou, no entanto, para negar os rumores de que a interrupção do pregão teria sido causada por ataque de hackers. "A paralisação ocorre por falhas internas técnicas e não é resultado de um ataque cibernético", disse a empresa em sua conta oficial no Twitter, afastando a hipótese de um ataque hacker. "Preferimos suspender as negociações para evitar problemas decorrentes dessa questão técnica", acrescentou a instituição.

A interrupção deixou investidores e corretoras de valores ainda mais nervosos, que já enfrentam uma grande volatilidade nos mercados financeiros globais. Apesar disso, a empresa diz que a falha ocorreu em plataformas de negociação específicas, e os investidores ainda podiam comprar e vender ações listadas na NYSE em outros locais, como a Bolsa Arca, de propriedade da Intercontinental Inc.

A suspensão ocorreu em meio de uma verdadeira corrida para a venda de papéis, estimulada pelo aprofundamento da fuga de investidores para os mercados da China. A falha também aconteceu no dia em que o Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA)  deve divulgar o resultado de sua última reunião. De todo modo, o incidente revela a fragilidade dos sistemas de negociação que permitem que os mercados de capitais funcionem.

Antes da suspensão total das negociações, representantes da NYSE disseram aos corretores que a empresa estava investigando um "problema relatado com uma conexão de gateway", que afetou a venda de cerca de 200 símbolos de ações, de acordo com e-mails aos quais o The Wall Street Journal teve acesso, incluindo as ações do Dr Pepper Snapple Group, Federated Investors e Time Warner Cable.

Deixe seu comentário