Movimento Open 5G @Campinas vai construir rede de colaboração e pesquisa no município

0

Uma iniciativa colaborativa e aberta voltada à pesquisa, desenvolvimento, experimentação e inovação em tecnologias e aplicações 5G. Essa é a proposta do Open 5G @Campinas, movimento lançado na cidade de Campinas, nesta quarta-feira,8, no interior de São Paulo, com a intenção de inspirar outras regiões do país e impulsionar o ecossistema brasileiro de inovação voltado à tecnologia 5G.

A assinatura do documento Manifesto pela Inovação Aberta com 5G aconteceu na Prefeitura Municipal de Campinas, um dos parceiros idealizadores dessa iniciativa, que conta também com a participação do CPQD, da Embrapa, da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), da PUC Campinas e da TIM.

A exemplo dos principais ecossistemas de inovação do mundo, o Open 5G @ Campinas está aberto a novos parceiros interessados em se integrar ao movimento — como fornecedores de dispositivos, equipamentos e software, startups, instituições de pesquisa e inovação e empresas de diversos segmentos –, construindo um ambiente de rede capaz de habilitar e impulsionar a criação e o refinamento de tecnologias, aplicações e modelos de negócio relacionados ao 5G.

Considerando que é uma tarefa árdua para um único ator cobrir todas as exigências do 5G e que o futuro dessa tecnologia — e sua sustentabilidade econômica – requer uma colaboração ampla, o Open 5G @ Campinas tem como objetivo reunir uma rede conectada de pessoas, organizações, equipamentos e laboratórios que poderão abrigar projetos de naturezas diferentes. Entre eles, plataforma para pesquisa, desenvolvimento e testes de novas tecnologias e casos de uso, ambiente de aprendizado prático e laboratórios para validação de novas tecnologias.

"A intenção é trazer novos atores com atuação não só em Campinas, mas no cenário nacional, que tenham interesse em desenvolver ou testar soluções e aplicações 5G em vários segmentos, como saúde, educação, agronegócio, cidades e indústria", explica o presidente do CPQD Sebastião Sahão Júnior. "Para isso, os parceiros do Open 5G @Campinas irão colocar à disposição de outros interessados em aderir a esse movimento a infraestrutura de laboratórios e de rede já disponível, que vem sendo utilizada em projetos em andamento, por exemplo, com recursos do FUNTTEL (Fundo para o Desenvolvimento Tecnológico das Telecomunicações), do Ministério das Comunicações, e do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI)", acrescenta.

Entre as diretrizes que norteiam as ações do Open 5G @Campinas, destacam-se o foco nas demandas de empresas e da sociedade, o uso de arquiteturas e componentes abertos, a inovação de forma aberta e colaborativa e o estímulo ao empreendedorismo de base tecnológica. A partir da oferta de um ambiente dotado de infraestrutura 5G fim a fim, será possível habilitar e impulsionar o desenvolvimento de tecnologias para essas novas redes, como Open RAN, fatiamento (slicing), orquestração e automação, Inteligência Artificial, core e edge computing, entre outras.

As empresas, startups e instituições interessadas em conhecer — e eventualmente aderir — ao Open 5G @Campinas podem acessar o hotsite do movimento, pelo link www.cpqd.com.br/open-5g-campinas/#

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui