5G: avanço e oportunidade para o futuro dos negócios

0
28

O 5G chegou ao Brasil, com as primeiras redes comerciais sendo oferecidas nas maiores cidades do País. Mas o que isso significa, de verdade? De imediato, significa que teremos acesso mais rápido à Internet, ao menos para quem já possui um smartphone compatível com a nova tecnologia. Mais importante do que o ganho atual, no entanto, é o que essa transformação pode representar para o nosso futuro. Em tempos cada vez mais exigentes, a evolução das conexões tem tudo para marcar o início de uma nova era de oportunidades para o uso inteligente da tecnologia em nossas cidades e empresas.

Afinal de contas, não há dúvidas de que a Internet móvel de quinta geração representa a porta de entrada para o desenvolvimento de uma nova gama de soluções que ajudarão a acelerar a transformação digital nas organizações e, do mesmo modo, permitirão a revolução completa da experiência dos clientes.

Quer um exemplo? Pense, então, nos ganhos que as companhias terão quando o 5G estiver plenamente disponível para o uso no dia a dia de suas operações, com sensores e sistemas altamente conectados. Estamos falando de uma enorme oportunidade para ampliar a inteligência das fábricas e melhorar a capacidade de resolver questões como gerenciamento remoto, previsibilidade de estoques, gestão de produção e muito mais.

São pontos como esses que têm levado à expansão dos investimentos globais em torno das aplicações e soluções específicas para a nova geração de Internet móvel. De acordo com projeções do Gartner, a indústria relacionada ao 5G deverá movimentar cerca de US$ 8,1 bilhões em 2020 – o que é praticamente o dobro do registrado no ano passado, mesmo com os impactos provocados pela pandemia.

Evidentemente, a grande parte dos gastos com essa tecnologia ainda está concentrada na Ásia e nos Estados Unidos. Ainda assim, especialistas indicam que a necessidade imposta pela crise deverá fazer com que esse movimento de evolução digital seja expandido rapidamente também em mercados mais emergentes, como o Brasil.

Nesse cenário, temos de avaliar com destaque o crescimento das aplicações de Internet das Coisas (IoT – Internet of Things, em inglês) e o avanço do uso da Inteligência Artificial (IA). Com a nova conexão móvel, essas tendências tecnológicas deverão se tornar ainda mais efetivas e trazer maior visibilidade às operações, acelerando a automação de processos e a análise de dados como arma para a melhora contínua da eficiência operacional de seus negócios.

Não por acaso, uma recente pesquisa da EY indicou que quase 70% dos líderes da área de telecomunicações acreditam que as redes 5G, o IoT e a Inteligência Artificial serão os principais propulsores da transformação digital nas empresas na próxima década. O que está em jogo, cada vez mais, é a capacidade de tornar tudo mais ágil e assertivo

Com maior velocidade e eficiência, as companhias poderão ascender a uma nova era de digitalização, incluindo a adoção de serviços específicos para o aprimoramento de suas operações. Dessa forma, devemos ver um crescimento dos negócios XaaS (Everything as a Service, em inglês), com serviços customizados para o atendimento das empresas. O objetivo será potencializar a rede de sensores e sistemas instalados gerando mais rentabilidade e eficiência aos negócios.

Vale destacar que, ainda de acordo com pesquisas globais, deveremos atingir quase 50 bilhões de dispositivos conectados até 2023 – contra aproximadamente 3,5 milhões em 2020. Ou seja, em curto prazo, estaremos diante de uma malha hiperconectada, que incluirá desde carros autônomos até equipamentos domésticos e sensores de automação industrial. E nesse contexto, temos de dizer, muito em função do avanço do 5G e do desenvolvimento de serviços e produtos de nova geração.

Isso significa que o 5G representará uma oportunidade para acelerar a transformação das fábricas, levando inteligência às produções, e para apoiar as companhias no trabalho de oferecer melhores experiências a seus consumidores, agregando mais agilidade e dinamismo aos contatos e às ofertas de conteúdo, entre outros. A quinta geração da conexão móvel será o ponto de partida para a aplicação de mudanças de impacto.

Também representará, certamente, novos desafios, como a necessidade de se aumentar a cibersegurança e de se melhorar a infraestrutura por trás das empresas. Contudo, essas alterações valerão a pena. Com o apoio dos parceiros certos e da mentalidade voltada à inovação, as companhias têm muito a ganhar com o 5G – em uma jornada que está apenas começando.

Sandra Maura, CEO da TOPMIND.

Deixe seu comentário