MyFitnessPal amplia investimento no mercado brasileiro de m-health e abre escritório em SP

0
0

Que os smartphones são ferramentas importantes para ajudar a manter a saúde e o peso, isso não é mais novidade. Tanto é que o MyFitnessPal, app do gênero, tem como objetivo justamente reunir todas as informações e dados de alimentação e exercícios em um só lugar, já acumula mais de 65 milhões de downloads em todo o mundo. A empresa quer expandir sua atuação no mercado brasileiro, com início das operações do escritório em São Paulo neste ano.

"Mesmo antes de iniciarmos este empenho regional, o MyFitnessPal crescia em um grande ritmo no Brasil", relata Tina Louise, diretora de expansão, encarregada dessa operação. "Em 2014, a participação do Brasil na comunidade de usuários da ferramenta está crescendo de 6 a 10 vezes mais rápido que no último ano. O que queremos, agora, é expandir isso ainda mais, por meio de iniciativas regionais e parcerias no País".

A empresa conta com números expressivos: cerca de 65 milhões de pessoas em todo o mundo fazem parte de sua comunidade, sendo que 80% dos mais relevantes wearables e aplicativos, incluindo Runtastic, Runkeeper, Fitbit e Jawbone, integram sua plataforma. "Constatamos que quando nossos membros conectam suas contas do MyFitnessPal a outro aplicativo de fitness, possuem duas vezes mais chances de obter sucesso em seus objetivos de saúde e fitness", conta.

Entre os principais usos do app – que é de uso totalmente gratuito para o usuário – está o controle da saúde, incluindo as calorias ingeridas, metas para a perda ou ganho de peso e a mensuração das calorias perdidas com os exercícios físicos, entre outras funcionalidades. O aplicativo foi traduzido para o português ainda em 2013, antes mesmo da criação do escritório local, o que ajudou a ampliar a base de dados de alimentos no país, bem como de produtos e receitas típicos das diversas regiões do Brasil.

O próximo passo que já está em andamento é a consolidação dessa base de dados de alimentos nacionais, sejam eles industrializados ou não, com a devida tabela nutricional — que ajudam o usuário a entender as calorias e os alimentos consumidos. Atualmente, o banco de dados conta com mais de 4 milhões de alimentos e centenas de exercícios – basta apenas escanear o código de barras ou ainda procurar pelo nome, desde um acarajé a um virado à paulista. "O banco de dados é alimentado pela nossa comunidade de usuários, que é muito ativa inclusive no Brasil. Nosso empenho agora é filtrar e ajustar esses dados", explica Tina.

Para o brasileiro – ou o cidadão de qualquer parte do mundo – o MyFitnessPal chega para tirar a pessoa do piloto automático, dando uma medida exata de como ele está se alimentando e se exercitando. "A pessoa sai do chutômetro. Acabam as dúvidas como 'mostarda ou maionese?', 'azeite ou manteiga?'". Além disso, a plataforma consegue entender o comportamento do usuário e, a partir daí, fazer sugestões para mudanças de hábito que melhorem a saúde. Por fim, o MyFitnessPal traz o apoio nas redes sociais, a exemplo do Facebook. Dados da empresa revelam que aqueles com mais amigos usando o aplicativo perdem duas vezes mais peso.

O MyFitnessPal também é indicado para atletas amadores ou profissionais, ou ainda pessoas que seguem uma dieta feita por um nutricionista. Nesses casos, o app concentra de forma ainda mais simples os dados da dieta pré-estabelecida, ajudando não só nas metas, mas também se transformando em um verdadeiro relato diário do usuário para o profissional que o acompanha.

Histórico

O MyFitnessPal surgiu nos Estados Unidos a partir do empenho do fundador Mike Lee. Programador desde os 10 anos de idade, Lee viu um nicho importante que era inexplorado ao se empenhar para perder peso e estar em forma no dia de seu próprio casamento, que seria na praia. Quando ele e a noiva foram ao personal trainer, receberam um livro com 3 mil alimentos e um pequeno bloco para anotar as calorias consumidas. "Eu sabia que deveria haver uma forma melhor de acompanhar minhas refeições e lanches, mas não encontrei nada online que fosse bom o bastante. Então eu criei minha própria solução", conta Mike, que hoje é CEO da empresa que começou com uma simples busca por uma melhor forma de controlar a dieta.

A partir de então, o aplicativo começou a expandir não só o número de alimentos cadastrados, como também agregar outras funcionalidades. Entre elas está a integração com outros apps, que auxiliam no acompanhamento das atividades esportivas dos usuários e enviam ao próprio MyFitnessPal o número de calorias perdidas nessas atividades. Com o cruzamento desse emaranhado de informações, o app também consegue dar sugestões para deixar a perda de peso mais saudável, incentivar o usuário e ainda dá a oportunidade dele acompanhar a dieta dos amigos, trazendo uma maior motivação para o atingimento das metas de saúde e fitness. Por fim, a leitura de código de barras torna possível encontrar um alimento industrializado quase que instantaneamente, colaborando não só na contagem de calorias, como também na decisão de comprar/consumir.

Em sua versão web, o MyFitnessPal possui um blog com dicas de nutricionistas e profissionais, além de um fórum para a troca de informações.

MyFitnessPal

Com mais de 65 milhões de downloads no mundo, o MyFitnessPal possui um banco de dados de mais de 4 milhões de alimentos e centenas de exercícios que ajudam as pessoas a alcançarem um estilo de vida mais saudável e feliz. A plataforma é 100% gratuita para o usuário e tem como objetivo juntar todas as informações e dados de alimentação e exercícios em um só lugar. Entre os principais usos do app – disponível para iOS, Android, Windows Phone e Web – está o controle da saúde, incluindo as calorias ingeridas, metas para a perda ou ganho de peso e a mensuração das calorias perdidas com os exercícios físicos, entre outras funcionalidades. Traduzido para o português em 2013, as operações no Brasil começaram em 2014.

Fórum de Saúde Digital 2014

Tina Louise, diretora de expansão, será uma das painelistas do Fórum de Saúde Digital, que acontece dia 11 de agosto, no WTC em São Paulo, que vai discutir, entre outros temas, como o m-health está impactando o setor de saúde.

Deixe seu comentário