Publicidade
Início Newsletter (TI Inside) Sites dos EUA ficam ‘mais lentos’ em protesto pela neutralidade de rede

Sites dos EUA ficam ‘mais lentos’ em protesto pela neutralidade de rede

0
Publicidade

Grande parte dos sites americanos decidiu realizar nesta quarta-feira, 10, um protesto virtual denominado Internet Slowdown (algo como “desaceleração da internet”), em defesa da neutralidade de rede, princípio que garante o tráfego igualitário de conteúdo na internet.

Empresas como Netflix, FourSquare, Mozilla e Vimeo instalaram um widget de loading (ícone de carregamento de conteúdo) em suas páginas na web para mostrar aos usuários como seria uma internet sem a neutralidade de rede, princípio que obriga os provedores de conexão a darem tratamento isonômico a todos os dados/conteúdos que circulam na rede. Twitter, Tumblr e Google também emitiram declarações de apoio à campanha. Os ícones, na realidade, não reduzirão a velocidade dos sites, mas se clicado eles abrirão um link para uma página onde os usuários podem tomar medidas sobre o assunto.

“A internet foi projetada para capacitar as pessoas. Para estar online, você precisará usar um provedor de acesso à internet. Mas uma vez que você estiver online, você decide o que fazer e para onde ir. Qualquer um, em qualquer lugar pode compartilhar suas opiniões livremente – e qualquer empresário, grande ou pequeno, pode construir, lançar e inovar sem ter que pedir permissão”, declarou em um e-mail, Derek Slater, gerente de política do Google.

Já um representante do Facebook disse que, embora a empresa não instalou o widget em seu site, ela apoia os princípios de neutralidade da rede. “Pedimos ao FCC para aprovar regras oponíveis à priorização paga de vias mais rápidas de acesso à internet, de modo que a web continua a ser uma plataforma aberta para o discurso e comércio”.

O alvo do protesto são os Estados Unidos, onde a regulamentação do tema está para ser concluída pela Comissão Federal de Comunicações (FCC, na sigla em inglês). Em abril, o presidente da Comissão, Tom Wheeler, anunciou proposta que permite aos provedores de banda larga oferecer velocidades maiores para determinados serviços, o que, na prática, derruba a neutralidade de rede. Desde então, mais de 100 empresas de internet contestam as novas regras propostas pela FCC. Com informações de agências internacionais.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Sair da versão mobile