API e seu papel estratégico na transformação digital

0
0

As realidades do mercado não enganam: Google, Amazon, Facebook, Twitter, Uber, Netflix, Expedia já estão, há muito tempo, baseando seu modelo de inovação e desenvolvimento na abertura para um ecossistema mais amplo usando suas APIs.

Mas, afinal, o que são as a APIs, quais são suas vantagens e por que são amplamente adotadas nos últimos anos pelos desenvolvedores do universo dos aplicativos?

APIs web, essas tecnologias de integração REST ou SOAP baseadas em protocolo HTTP, estabelecem o contrato entre as interfaces de usuário e os serviços embarcados pelos servidores de aplicativos. Isso também acontece no uso dos frameworks no desenvolvimento de aplicativos móveis, na integração com as redes sociais e a nuvem, e até mesmo mais recentemente no universo da internet das coisas.

Esta nova tendência, permite que, por um lado, seus parceiros tradicionais tenham mais liberdade no uso do serviço por meio de uma personalização do modo de distribuição. Por outro, estendem o ecossistema a novos parceiros tecnológicos capazes de embarcar os serviços da empresa em produtos inovadores dentro de uma cadeia de valor mais ampla.

E quanto às empresas tradicionais? As empresas mais tradicionais podem ignorar esta nova economia digital? Com certeza não, e o desafio para não ser surpreendido pelos gigantes da Internet é imenso. A revolução digital afeta até setores mais tradicionais como os táxis (com o Uber) ou a hotelaria (com o Airbnb). Felizmente, são cada vez mais numerosas as organizações que já iniciaram sua transformação digital, como a companhia de seguros francesa AXA, que recentemente investiu €450 milhões na área digital, totalizando €950 milhões no período de 2013 a 2015.

Essa transformação não é trivial, ela afeta toda a organização e deve ser sustentada por uma visão estratégica, endossada pelas lideranças. Ela deve ser articulada em todos os níveis e acompanhada por agilidade que frequentemente desafia a estrutura segmentada das empresas. Não se trata mais de confiar iniciativas não estratégicas a uma equipe de marketing digital como foi o caso durante muitos anos, mas uma mudança muito mais profunda na maneira de pensar e operar o modelo de negócio.

De uma perspectiva de recursos humanos, as empresas são levadas a manter equipes de marketing e técnicas nativamente digitais, capazes de compreender os desafios por trás das inovações que subvertem a ordem estabelecida. Multiplicadores tecnológicos internos têm por função estabelecer o elo entre essas equipes e a diretoria executiva a fim de integrar os desafios digitais na estratégia global da empresa.

Qual é o impacto sobre o sistema de informações da organização? O elo entre o negócio e a informática nunca foi tão forte, com equipes de marketing cada vez mais técnicas e desenvolvedores capazes de compreender as oportunidades de mercado.

Os desafios enfrentados pelo sistema de informações para apoiar a transformação digital são complexos. Os sistemas legado são díspares e de difícil evolução, porém é essencial mantê-los em condições de funcionamento. Mas, além disso, a TI deve pensar em tornar seu sistema de informações mais ágil e integrado às equipes de marketing e comerciais, para responder à evolução do mercado em ciclos cada vez mais curtos por meio de uma abordagem bimodal de TI.

As tecnologias utilizadas devem apoiar a agilidade. Para tanto, as mais recentes arquiteturas emergentes destinam-se a estender o uso das APIs como um elo entre aplicativos, para unificar ao máximo as tecnologias de integração e atrair novas gerações de desenvolvedores. As APIs são usadas não somente para a integração com dispositivos móveis, a nuvem, as redes sociais e os parceiros, mas também permitem um novo modo de integração de aplicativos internos, por meio da introdução de uma camada de mediação que mascara a complexidade da integração subjacente, tornando-a mais amigável ao usuário.

Todos esses usos constituem o mercado da gestão das APIs que, segundo a empresa de pesquisa de mercado Forrester, deverá quadruplicar até 2020, ou seja, trará excelentes perspectivas para este setor. Além disso, projetos digitais envolvendo APIs são cada vez mais implementados em muitas áreas: bancos, seguros, fornecedores de energia, laboratórios farmacêuticos, montadoras de automóveis, até mesmo governos. Os resultados são ganhos de flexibilidade, capacidade de resposta, competitividade e redução de custos.

*Marcelo Ramos é vice-presidente sênior e gerente geral da Axway para a América Latina.

Deixe seu comentário