BlackBerry Cylance ajuda a modernizar TI para povos indígenas do Canadá

0
0

Na última edição da Indigenous Technology Summit, a BlackBerry Cylance anunciou que está ajudando as comunidades indígenas do Canadá a implantarem novas tecnologias, com o objetivo de melhorar seu bem-estar geral em saúde, educação, segurança e desenvolvimento econômico.

Trabalhando em colaboração, a BlackBerry Cylance a Forrest Green e a Microsoft fazem uma combinação abrangente de tecnologias seguras de comunicação, cibersegurança, nuvem, inteligência artificial (IA) e aprendizado de máquina (ML) da próxima geração para caciques e povos indígenas de todo o Canadá – fornecendo a eles valiosas ferramentas para tomarem decisões melhores, baseadas em dados.

As três empresas também oferecem aos residentes programas de educação e capacitação, para que estejam bem posicionados para participar da economia digital. "Isso é a construção da nação em ação", comenta Joseph Norton, Grand Chief do Conselho Mohawk de Kahnawá:ke.

"A BlackBerry possui a infraestrutura de comunicação CPaaS mais segura do mundo e, com a combinação com as soluções de nuvem e análises de classe mundial da Microsoft e os esforços críticos de integração de sistemas da Forrest Green, as nações nativas terão as ferramentas tecnológicas necessárias para gerenciar suas comunidades e garantir o bem-estar do seus povos – um passo significativo em direção à autogovernança. As nações nativas precisam possuir, controlar e possuir seus próprios sistemas de dados e comunicação para criar comunidades vibrantes e autossustentáveis", diz Charles Eagan, CTO da BlackBerry. "A liderança eficaz da comunidade requer comunicações seguras e acesso a dados precisos para tomar decisões, alocar recursos e, finalmente, resolver problemas. Estamos orgulhosos de fornecer às comunidades indígenas canadenses as comunicações seguras de IoT da BlackBerry e a experiência em IA líder do setor, que fornecerão a segurança e a privacidade nas quais essas nações podem confiar.

Realizada no Mount Royal Club, em Montreal, a Cúpula de Tecnologia Indígena recebeu mais de 15 caciques, o Conselho Nacional Métis, dezenas de empresários indígenas e altos executivos do governo federal.

A cúpula contou com a representação indígena de costa a costa, incluindo a nação de Yellowknives Dene (Território do Noroeste), Mustimuhw (Ilha de Vancouver), o Conselho Mohawk de Kahnawà:ke (Quebec) e o Atlantic Policy Congress (Dartmouth, Nova Escócia), para discutir como alcançar o compromisso recente do Canadá de gastar US$ 1 bilhão com empresas controladas por indígenas até 2023, um aumento de 17 vezes dos US$ 60 milhões/ano que o governo federal aloca atualmente. A única vertical de crescimento mais rápido para os gastos do governo federal está na tecnologia da informação/economia do conhecimento.

Deixe seu comentário