Mais de R$ 500 milhões em fraudes são evitadas no e-commerce no terceiro trimestre, aponta ClearSale

0
0

Realizar compras pela internet já pode ser considerado um comportamento inserido nos hábitos de consumo dos brasileiros. Com o crescimento das atividades on-line, há também uma atenção maior das empresas para evitar que as fraudes ocorram. Levantamento realizado pela ClearSale aponta que R$ 500.939.672,12 em fraudes foram evitadas entre julho e setembro deste ano, 83% a mais do que o mesmo período de 2018, quando foram registradas mais de R$ 274 milhões.

Na comparação por regiões, o Sudeste figura como a região com o maior valor de fraudes evitadas, 55%, e mais de R$ 92 milhões, seguido do Nordeste, 23%, Centro-Oeste e Sul, com 9% cada, e Norte, 5%. O levantamento analisou as compras realizadas pela internet, pagas com cartão de crédito e com valor máximo de R$ 100 mil, nos meses de julho, agosto e setembro de 2018 e 2019.

A alta é reflexo do aumento da quantidade de pedidos, que cresceu 34% no período, além do aperfeiçoamento constante nos processos antifraude realizados pela ClearSale. Para o levantamento foram analisados mais de R$ 4 bilhões em compras pela internet.

"Atualizamos e ajustamos constantemente nossos modelos de análises antifraude, tanto com a utilização de novas tecnologias, como o uso de novos elementos de inteligência de estatística. Isso possibilita aprimorarmos o perfil de comportamento de compras dos clientes e a identificarmos vulnerabilidades nos processos de compras", explica Omar Jarouche, diretor de Soluções da ClearSale.

A compra de Celulares concentra o maior registro de tentativa de fraude, com 9,61%%, seguido por Games, 6,36%, Bebidas, 5,10%, Eletrônicos, 4,66% e Itens de Informática, 4,29%. Os produtos mais visados são aqueles com maior facilidade de serem repassados ao mercado paralelo, como os smartphones, categoria que conta com lançamentos constantemente e alta demanda dos consumidores.

"Para evitar que fraudes ocorram, é importante sempre manter boas práticas na internet e um olhar vigilante, como o uso de senhas fortes, checar a procedência de e-mails e de mensagens recebidas no celular", destaca Jarouche.

Deixe seu comentário