Soluções de trabalho ideais promovem o engajamento e preparam empresa para economia digital

0

A transformação digital vai muito além da infraestrutura e está criando uma nova força de trabalho, conectada, diversificada, distribuída, móvel e engajada. Confirmando o que os líderes de negócio percebem no dia a dia, o relatório ISG Provider Lens Digital Workplace para o Brasil aponta que as empresas estão sendo desafiadas a fornecer um "local de trabalho onipresente" que permita que seus funcionários sejam produtivos onde quer que estejam.

E esse local de trabalho onipresente também precisa oferecer um ambiente de colaboração capaz de engajar equipes globais, rompendo as barreiras entre gerações, culturas e geografias. Enquanto a Geração X (nascidos entre 1965 e 1979), por exemplo, gostaria de usar apenas ocasionalmente soluções de reunião online com vídeo, essa tecnologia é considerada fundamental pelos Millennials (nascidos entre 1980 e 1997).

Esses aspectos impactam diretamente no engajamento da equipe, e desafiam não apenas o RH, mas, principalmente, os líderes de TI, que precisam buscar novas formas de atender as necessidades de uma força de trabalho cada vez mais diversa e distribuída geograficamente. Neste cenário, em que as novas tecnologias estão transformando todos os setores e transformando o ambiente de trabalho, tendências como mobilidade e BYOD estão impulsionando o investimento em soluções ideais de trabalho.

Contar com o conjunto de soluções de trabalho ideal é fundamental para garantir os mais altos níveis de produtividade, dando aos líderes de TI a transparência necessária para entender quais são os recursos que os funcionários têm acesso hoje e vão precisar no futuro, promover a colaboração e a comunicação entre os membros de diferentes equipes e, ao mesmo tempo, garantir processos de negócio documentados e estruturados.

Uma boa maneira de começar é pelas soluções de compartilhamento de arquivos e ferramentas online, que podem ajudar os membros da equipe a ganhar conhecimento rapidamente e disseminá-lo. Como muitas organizações já contam com plataformas de produtividade, provavelmente já contam com acesso a uma série de ferramentas do tipo, tornando a criação de uma cultura digital muito mais fácil.

Estima-se que o mercado global de ferramentas corporativas passe dos US$ 9,5 bilhões em 2021 – em 2015, esse número era de US$ 7 bilhões. Para ter sucesso na adoção dessas ferramentas, no entanto, as empresas precisam ser ágeis e investir em soluções eficientes, de fácil entendimento e totalmente integradas à infraestrutura corporativa.

Dados divulgados pelo IDC ainda em 2015 mostram que 49% das empresas pequenas e médias já usavam ferramentas de colaboração, e 66% implementariam ou atualizariam as suas nos próximos três anos. Na época, a maioria tinha intensão de melhorar as interações entre os funcionários, a produtividade, a flexibilidade e a mobilidade.

Hoje, em 2019, esses objetivos ainda são os principais motivadores dos investimentos e na busca pelo conjunto de soluções de trabalho ideal para promover a colaboração e a comunicação entre os membros do time. Dados divulgados pelo IDC no fim de 2018, por exemplo, mostram que, em 2019, espera-se que 54% das empresas na América Latina aumentem seus gastos em TI. Para 2022, estima-se que 75% das empresas desenvolvam ambientes de TI "nativos digitais" para prosperar na economia digital. Soluções de trabalho colaborativas vão ser fundamentais neste cenário, promovendo processos estruturados e garantindo a agilidade e a preservação dos níveis de engajamento.

Com a produtividade e o engajamento diretamente ligados ao investimento em tecnologia, já que é preciso oferecer equipamentos com aplicações alinhadas ao negócio e ainda atender as necessidades geradas pelo BYOD, que, junto da mobilidade, já deixou de ser tendência e agora é mandatório, o novo ambiente de trabalho deve se tornar cada vez mais digital.

Eduardo Borba, presidente da Softline Brasil.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui