Publicidade
Início ESG ESG: Lexmark direcionou 525 toneladas de materiais para reciclagem no Brasil em...

ESG: Lexmark direcionou 525 toneladas de materiais para reciclagem no Brasil em 2020

0
Publicidade

A Lexmark por meio de seu Programa de Coleta de Cartuchos (LCCP, na sigla em inglês), destinou corretamente 525 toneladas de materiais aos centros de reciclagem em 2020, transformando os não servíveis em matéria-prima para fabricação de novos produtos. Este volume representa mais de 80% do volume de suprimentos utilizados por seus clientes.

Sustentabilidade é um dos principais pilares da empresa, que este ano completa 30 anos de existência e que, nos últimos 14 anos, conseguiu incorporar mais de 26 milhões de quilos de materiais reciclados na produção de novos dispositivos. A Lexmark utiliza plásticos reciclados pós-consumo (PCR) que são reintroduzidos na cadeia produtiva e ajudam a reduzir o uso de novos recursos naturais e a quantidade de resíduos em aterros sanitários. Esses esforços não apenas promovem a inovação e o crescimento econômico, mas ajudam a economia circular e a sustentabilidade.

A Lexmark também trabalha para reduzir a emissão carbono com embalagens que levam cada vez menos material e o aumento do uso de plásticos reciclados na produção de novos equipamentos. Atualmente, os materiais que a empresa mais recicla são os suprimentos toners e fotocondutores.

“São três os pilares em que apoiamos nossas inciativas de sustentabilidade na Lexmark. Investimos fortemente no chamado “design sustentável” – o que significa que nossos equipamentos são desenvolvidos para durar mais de sete anos, enquanto o mercado, em geral, oferece equipamentos com ciclo de vida que vão de três a cinco anos. Também desenvolvemos os equipamentos para que eles ofereçam melhor eficiência energética, com menor uso possível de energia, e suprimentos de grande capacidade e maior durabilidade. A ideia é que a menor quantidade de cartuchos seja utilizada para imprimir a maior quantidade de páginas possível”, explica Marcelo Pires, gerente de Logística da Lexmark Brasil.

Ainda segundo o executivo, outro pilar importante são as iniciativas para a redução da necessidade de impressão por meio de soluções de digitalização e sistemas de armazenamento e distribuição dos arquivos digitais em nuvem. Além dos sensores nos equipamentos que permitem corrigir uma grande parte de problemas ou erros nas multifuncionais de forma remota, sem a necessidade da ida de um técnico ao local, assim também reduzindo a emissão de carbono.

O terceiro pilar é justamente a coleta e destinação correta dos suprimentos e equipamentos e a otimização dos materiais recuperados, transformando-os em matéria-prima de alta qualidade a ser utilizada em novos produtos, buscando sempre a inclusão da maior quantidade de materiais na economia circular.

Atualmente, a Lexmark possui programas de coleta em mais de 60 países, ou seja, em mais de 90% de seu mercado global.

SEM COMENTÁRIOS

Deixe seu comentário

Sair da versão mobile